Em 3 meses, arrecadação de multas cai 79% em Piracicaba

Valores das multas serão contabilizadas e emitidas após o término da suspensão dos serviços do Denatran (Foto: Amanda Vieira/JP)

A arrecadação de recursos pela Prefeitura de Piracicaba a partir das multas de trânsito caiu 79% de janeiro a abril. No primeiro mês do ano, o total arrecadado foi de R$ 1,503 milhão, nos dois meses seguintes, houve uma queda para cerca de R$ 800 mil e, em abril, os cofres da prefeitura contaram com R$ 320 mil em arrecadação.


O titular da Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte), Jorge Akira, atribui a queda na arrecadação às deliberações do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), que suspenderam os prazos de imposição de penalidade por conta da covid-19.Com a suspensão, os contribuintes deixaram de recolher valores de multas no ato do licenciamento. “Com a volta dos licenciamentos, deverão aumentar os pagamentos”, afirmou Akira.




Segundo o secretário, a queda no volume de recursos pode prejudicar os serviços desenvolvidos pela pasta. “Vamos acompanhar mensalmente, mas poderá impactar. Estamos fazendo um planejamento para que se houver necessidade, façamos a readequação e diminuição das ordens de serviço”, admitiu.

Entre as ações realizadas pela Semuttran com recursos das infrações de trânsito estão a manutenção da sinalização horizontal, vertical e semafórica, compra de veículos, combustível, fiscalização eletrônica e monitoramento por câmeras, correios, obras no sistema viário e uniforme dos agentes, entre outras despesas.

Em abril do ano passado, o total arrecadado pela administração com as multas foi de R$ 1,216 milhão. No primeiro quadrimestre de 2019, os cofres da prefeitura contaram com R$ 6,491 milhões de um total de 25.959 multas. Já no mesmo período deste ano, a arrecadação caiu 46%.

PRAZO INDETERMINADO
Desde os dia 19 de março, ficaram interrompidos, por tempo indeterminado, os prazos para regularização de serviços, mesmo vencidos, como a CNH. O Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo ) informou na época que a medida era em cumprimento à determinação do Governo do Estado sobre a suspensão dos atendimentos presenciais em todas as unidades do departamento no Estado.

Beto Silva
[email protected]