Em 7 dias, 985 novos casos são registrados em Piracicaba

Na semana, o número de mortos subiu de 297 para 311 (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Em sete dias, os casos positivos de covid-19 em Piracicaba aumentaram em quase mil diagnósticos. O total de infectados pelo novo coronavírus na cidade até ontem era de 13.196, sendo que há uma semana, as estatísticas municipais apontavam para 12.066 doentes, ou seja, em menos 985 infectados.


Nesse período, o número de mortos pela doença subiu de 297 para os atuais 311 informados ontem pela Secretaria de Saúde, que registrou nesta sexta-feira mais uma morte em razão da covid-19. A vítima é um idoso de 73 anos.

Em relação aos contaminados pela doença, foram mais 134 pessoas nas últimas 24 horas, sendo 66 mulheres e 68 homens.

O município também registra 11.402 pessoas recuperadas da doença, 1.483 pessoas em tratamento, 964 casos suspeitos e 19.112 casos descartados.

MENSAL
O Governo do Estado de São Paulo anunciou nesta sexta-feira a atualização do Plano São Paulo de enfrentamento ao coronavírus e retomada econômica com todas as regiões do estado na fase amarela, o que permite atendimento presencial em bares, restaurantes, salões de beleza, academias, shoppings, comércios de rua, escritórios em geral e concessionárias.

A reclassificação para progressões de fase passa a ser mensal, com nova revisão no dia 9 de outubro.

No Estado de São Paulo como um todo, a pandemia regride de maneira sólida e, agora, todas as regiões estão na fase amarela, segundo apontou o governo.

Com a estabilidade do avanço da pandemia em todas as regiões, o Centro de Contingência do coronavírus recomendou que o monitoramento seja estendido para um período mínimo de 28 dias. O acompanhamento dos indicadores nas próximas quatro semanas vai garantir mais segurança na possível migração de regiões para a fase verde a partir do início de outubro.

Há uma semana, 95% da população paulista já estava em regiões contempladas na terceira de cinco etapas do Plano São Paulo. Franca e Ribeirão Preto estavam na fase laranja, mais restritiva, mas tiveram queda acentuada em número de mortes e internações provocadas pelo coronavírus, além de melhoria nas taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Na média estadual, os números apontam que a pandemia vem regredindo de forma consistente. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus, São Paulo registra declínio de mortes por COVID-19 há cinco semanas consecutivas. Já as internações de pacientes com coronavírus estão em queda há oito semanas.

Beto Silva