O ser humano, obedecendo a um impulso natural, utiliza-se dos seus potenciais inatos ou desenvolvidos para obter êxito naquilo que realiza, e nesse sentido o conceito de sucesso é relativo e depende dos valores e referências de cada um.

A busca de sucesso, especialmente para quem não possui uma educação abrangente e libertadora (que contemple os propósitos existenciais, o sentido evolutivo e espiritual da vida), é muitas vezes motivada por interesses superficiais e egocêntricos, além de ser permeada de conflitos, projeções e expectativas de pais e familiares, modismos, interesses econômicos e imposições sociais.

Uma sociedade predominantemente materialista, consumista, competitiva, hedonista, violenta e corrupta obviamente estabelece critérios de sucesso de acordo com esses padrões. Nessa sociedade o sucesso, fruto de desejos egocêntricos, mostra-se como busca de vantagens pessoais, destaque social, enriquecimento, enfim, tudo o que pode alimentar a vaidade, o egoísmo e o orgulho. Sob uma perspectiva mais ampla, esses aspectos do ser atrapalham o seu e o processo evolutivo coletivo e são obstáculos ao pleno cumprimento do objetivo existencial.

Aqueles que despertam a consciência, que têm acesso a instruções espirituais, as valorizam e praticam, passam a ter uma concepção completamente diferente de sucesso. Tais pessoas, ao mudarem suas referências, ao descobrirem valores infinitamente mais importantes, não mais desejam vencer os outros, mas a si mesmas, e buscam libertar-se de tudo o que as limite ou escravize, compreendendo que quem está em harmonia com sua consciência e cumpre do melhor modo possível suas tarefas, sente uma alegria, paz e satisfação que nenhuma circunstância externa, nenhuma riqueza material, nenhuma projeção social, nenhum título acadêmico podem proporcionar.

O indivíduo que busca qualquer forma externa de êxito sem a correspondente realização interior, que tem como critério de sucesso apenas conquistas de natureza material, se torna refém das suas posses, as quais o tornam presa do que supunha possuir, além do que, cedo ou tarde, pelas circunstâncias da vida, pelos reveses do destino ou pela chegada da morte, deixarão definitivamente suas mãos. Observa-se que particularmente diante da morte, os critérios de sucesso, vitória e conquista mudam completamente. Tudo o que possa ter sido, até então, valorizado, perde grande parte da sua importância, sendo o estado íntimo de serenidade e de paz a conquista mais significativa.

Os instrutores espirituais que têm ofertado ao mundo tesouros de sabedoria e de amor estabeleceram alguns dos critérios de sucesso segundo seus ensinamentos: conhecer e conquistar a si mesmo, libertar-se das ilusões e limitações materiais, sentir e manifestar a presença divina na forma de uma vida cada vez mais livre e plena de amor incondicional.

A pessoa que depende pouco de fatores e circunstâncias exteriores para usufruir, celebrar e compartilhar a vida, que cultiva relacionamentos saudáveis e que é movida por ideais elevados, certamente alcançou um triunfo infinitamente mais valioso que qualquer conquista aparente. Quem não teme a morte, quem considera os outros e os trata como irmãos, quem oferece ao mundo que o cerca o melhor de si, quem almeja o bem de todos, quem sente íntima e profundamente a alegria de viver, servir e amar, esse possui o maior de todos os tesouros e alcançou o maior dos sucessos, que ninguém nem nada é capaz de lhe retirar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um + onze =