Em janeiro, Piracicaba registrou 4 mortes no trânsito

Pedestres sao maioria das vitimas fatais (Credito: Amanda Vieira/JP)

Apesar de a Prefeitura de Piracicaba comemorar ter alcançado a meta definida pela ONU (Organização das Nações Unidas) na redução de mortes no trânsito ocorridas na malha viária do município, o número de óbitos registrado na cidade no primeiro mês deste ano, é três vezes maior que o verificado em janeiro de 2019.

De acordo com as estatísticas do Movimento Respeito à Vida (Infosiga), com base de dados do Governo do Estado, este ano foram quatro mortes, sendo três pedestres e um condutor, registradas em Piracicaba. No mesmo período do ano passado houve apenas uma morte. Metade dos óbitos deste ano ocorreu nas estradas e a outra parte nas vias da cidade.

Segundo a prefeitura, de 2015 a 2019, o número de óbitos registrados na malha viária do município caiu de 44 para 22, queda de 50%, conforme estipulado pela ONU para a Década de Ação pela Segurança no Trânsito, iniciada em 2011 e que termina neste ano.

O secretário municipal de Trânsito e Transportes, Jorge Akira, disse que é possível afirmar que Piracicaba cumpriu a meta na metade do tempo, já que as cidades do Estado passaram a ter um banco de dados confiável somente a partir de 2015, com a criação do Movimento Paulista de Segurança Viária, hoje chamado Respeito à Vida e que traz dados de acidentes e óbitos de cada cidade do Estado, separados por vias urbanas e rodovias, ocorridos no local do acidente ou no hospital.

Akira destacou que a meta foi atingida mesmo com o aumento de 14% na frota de veículos. Segundo ele, nos últimos cinco anos, o número de veículos em Piracicaba saltou de 285 mil, em 2015, para 324 mil, em 2020, desses, 59 mil e 67 mil são motocicletas, respectivamente.

As mortes de motociclistas também diminuíram em 33% – de 13, em 2018, para 9 em 2019, segundo o secretário. Akira ponderou que, mesmo com essa diminuição, os números ainda são altos. “No final de 2019 a Câmara aprovou Projeto de Lei do Executivo para regulamentação de mototaxistas e motofretistas, que deverá contribuir para a diminuição de acidentes”, explicou.

Entre as ações para redução dos acidentes na cidade, o secretário citou o investimento em tecnologia, em campanhas de trânsito e ação integrada entre a prefeitura e as polícias municipal e militar, além da fiscalização 24 horas dos 60 agentes municipais de trânsito.

Akira disse que foram implantadas 15 câmeras de monitoramento, que auxiliam os agentes no controle semafórico e qualquer intercorrência nas principais avenidas. Outras 40 câmeras foram implantadas para leitura automática de placas em 19 vias da cidade.

Beto Silva

[email protected]