Em mais uma polêmica, comércio fica fechado durante feriado

No feriado do dia 13, o comércio vai funcionar normalmente. (Foto: Amanda Vieira/JP)

A abertura do comércio durante feriado volta a ser polêmica em Piracicaba. Para tentar compensar o período em que as lojas permaneceram fechadas durante o período de quarentena determinado pelo Governo do Estado e, ao mesmo tempo, alavancar as vendas na véspera do Dia dos Namorados, os lojistas tentaram – sem sucesso – um acordo com o Sindicato dos Empregados no Comércio para funcionamento neste feriado de Corpus Christi.


Para intermediar a negociação, os empresários acionaram o Sincomércio – Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba.

Na tentativa de conseguir um aditamento à convenção coletiva da categoria e assim, garantir a abertura, representantes da entidade patronal buscaram um entendimento com o sindicato dos trabalhadores.

De acordo com o secretário-executivo do Sincomércio, Carlos Beltrame, foi feita uma consulta ao sindicato da categoria para tentar o aditamento da conveção coletiva. Beltrame contou que, após reunião da diretoria, foi informado que atendendo a um pedido do prefeito Barjas Negri (PSDB), com relação à retomada gradual do comércio, foi solicitado apoio do sindicato dos empregados para que, diante do aumento dos casos de covid-19 na cidade, o sindicato da categoria achou por bem não fazer o aditamento. “Diante do comprometimento com o prefeito durante reunião na semana passada, decidiram não fazer o aditamento visto que nesta semana há mais um feriado, (dia 13, Dia de Santo Antônio – Padroeiro de Piracicaba) e esse já está liberado pela convenção coletiva, o funcionamento do comércio”, relatou o secretário.

A assessora jurídica do sindicato dos trabalhadores, Vivian Previde, confirmou as informações.

A advogada disse que o Sincomércio chegou a consultar sobre o aditamento à convenção coletiva para possibilitar o trabalho neste dia 11. “Ocorre que o próprio prefeito Barjas Negri, fez uma solicitação verbal a nossa diretoria para que apoiasse o plano de retomada gradual das atividades no comércio, seguindo as recomendações do Ministério Público, diante do aumento exponencial de casos covid-19”, afirmou.

“A nossa luta é pela vida, das empresas e das pessoas. Mas alterar a convenção coletiva agora para que o comerciário trabalhe em um feriado que não estava previsto anteriormente significa maior exposição a covid-19”, acrescentou.

O prefeito foi questionado sobre a informação do sindicato e, por meio da assessoria de imprensa, informou que não houve reunião com a entidade.

Beto Silva

[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

7 + dezoito =