Em Piracicaba, indivíduos se apropriam de dados da vítima e fazem compras de mais de R$ 7,5 mil

Foto: Amanda Vieira/JP

Um engenheiro mecânico de 57 anos, morador do bairro Jardim Caxambu, foi a mais nova vítima de golpe de estelionato aqui em Piracicaba (SP). Nesta quarta (23), ele descobriu que indivíduos, se utilizando indevidamente de seus dados, realizaram um cadastro bancário com seu nome, o que rendeu um prejuízo financeiro de mais de R$ 7,5 mil em seu nome. O caso será investigado.

O engenheiro mecânico procurou a Polícia Civil do município às 12h30 desta quarta para relatar o ocorrido. Por volta da hora do almoço, uma empresa de cobrança, situada no Estado do Rio Grande do Sul, entrou em contato com ele para informar que ele possuía faturas de cartão de crédito ainda não pagas.

De acordo com a empresa, a primeira fatura, no valor de R$ 3.510 do banco Digimais, havia vencido no dia 01 de fevereiro. Já a segunda parcela, a vencer no dia 01 de março, seria no valor de R$ 4.038.

Ao tomar ciência disso, ele relatou à empresa que não possui nenhum cartão de crédito do banco Digimais e que, principalmente, não efetuou nenhuma compra nos referidos valores.

A empresa de cobrança forneceu à vítima o endereço do banco Digimais, que seria na rua Emílio Lamarca, no bairro Jardim Moreno, na cidade de São Paulo. Posteriormente, o engenheiro tomou ciência de que indivíduos haviam utilizado indevidamente seus dados para efetuar um cadastro no referido estabelecimento bancário; na sequência, os indivíduos realizaram compras no nome da vítima, o que se provou ser uma fraude.

O engenheiro foi até o 2º Distrito Policial do município para relatar o ocorrido e registrar um boletim de ocorrência. No local, o delegado Mario Bortoleto Torina tomou ciência dos fatos e registrou o caso como crime de estelionato, conforme rege o artigo 171 do Código Penal. O caso foi registrado às 19h51.

Ainda na delegacia, o engenheiro mecânico foi cientificado do prazo decadencial de seis meses para oferecer representação, caso deseje que uma investigação seja aberta a fim de ver os autores do crime processados na forma da lei.

Rafael Fioravanti | [email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

1 + treze =