Em Piracicaba, mulher cai em golpe, tem WhatsApp clonado e movimentação em sua conta bancária

Foto: Claudinho Coradini/JP

Em Piracicaba, uma assistente administrativa de 43 anos, moradora do bairro Paulista, procurou a Polícia Civil do município para informar ter sido vítima de um golpe. O caso agora será apurado.

A vítima relatou à Polícia Civil que, na última semana, recebeu várias mensagens de confirmação de transferência PIX em seu telefone celular. Contudo, ao visualizar essas referidas mensagens, a vítima percebeu que tinha perdido seu acesso ao aplicativo WhatsApp, além de chip de sua operadora e também de seu e-mail. Inclusive, ela ressaltou que seu e-mail é o meso vinculado a sua conta do banco digital PAN.

Posteriormente, a assistente administrativa constatou que golpistas haviam clonado seu WhatsApp e habilitado seu chip em outro aparelho celular. Na sequência, a vítima constatou ainda que os golpistas haviam realizado um consignado no banco PAN, com saldo do seu saque aniversário, com sete parcelas de R$ 2.022 a R$ 2.028.

Em contato com o seu banco, e também munida do extrato, a vítima teve acesso a um número 011, o qual desconhece. Ela acredita que esse deve ter sido o número utilizado pelo estelionatário para a realização do golpe.

Na UPJ (Unidade de Polícia Judiciária), a vítima registrou um boletim de ocorrência e relatou todo o ocorrido. Ali, ela também foi orientada quanto ao prazo decadencial de seis meses para oferecer representação, caso deseje que a Polícia Civil dê início a uma investigação.

O delegado Alex Williams Adami tomou ciência do ocorrido e registrou o caso como crime de estelionato, conforme rege o artigo 171 do Código Penal.

ESTELIONATO – Crimes de estelionato têm sido bastante recorrentes em Piracicaba; principalmente quando o crime é praticado mediante clonagem de WhatsApp.

Para proteger sua conta e evitar que seu número seja clonado, é fundamental que os usuários restrinjam a visualização de sua foto de perfil apenas para os seus contatos. Isso impede que desconhecidos tenham acesso à imagem do usuário. Somado a isso, também é fundamental que o usuário ative uma senha em seu aplicativo, por meio da confirmação em duas etapas. Desta forma, um código será solicitado sempre que houver uma tentativa de habilitar a conta do usuário em outro aparelho.

Rafael Fioravanti | [email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

16 − nove =