Em seis meses, 268 acidentes com 27 mortes de ciclistas

Ciclistas são orientados sobre cuidados em rodovias | Foto: Amanda Viera

De janeiro até julho deste ano, ocorreram 268 acidentes, com 27 mortes de ciclistas pelas rodovias concedidas do Estado de São Paulo, segundo dados da Artesp – Agência de Transporte do Estado de São Paulo. No mesmo período do ano passado, foram também 268 acidentes e 22 óbitos. No total, em 2019, houve 433 acidentes e 35 mortes.

Com o objetivo de mudar o cenário, durante a Semana Nacional do Trânsito de 2020, de 18 a 25 de setembro, a agência e as 20 concessionárias que integram o Programa de Concessões Rodoviárias Paulistas intensificaram ações de conscientização para motoristas, ciclistas, motociclistas e pedestres para um trânsito mais consciente e seguro.

“A Semana foi uma oportunidade de reforçar todas as ações que são feitas pelas concessionárias sob a regulação da agência, ao longo do ano. São campanhas, ações educacionais, de conscientização, além de informações permanentes nas redes sociais e demais plataformas. Intervenções como essa são extremamente necessárias para aumentar o entendimento sobre o trânsito mais seguro e tranquilo”, afirmou o diretor geral da Artesp, Milton Persoli.

Segundo ele, os ciclistas devem assumir comportamentos seguros para evitar acidentes. Embora o tráfego de bicicletas no acostamento das rodovias brasileiras seja permitido pelo Código de Trânsito Brasileiro, é preferível, por uma questão de segurança, que se evite transitar pelos acostamentos e seja dada preferência pela utilização de ciclovias e ciclofaixas adequadas.

Caso seja realmente necessário o uso do acostamento em rodovias para andar de bicicleta a Artesp indica medidas de segurança como, grupos de motociclistas e ciclistas não podem mais trafegar por vias federais sem autorização da Polícia Rodoviária Federal. Independentemente da quantidade de integrantes, os organizadores devem solicitar liberação junto à Polícia Rodoviária Federal antes de circular pelas rodovias federais em todo país, mesmo que estejam fazendo apenas um passeio.

O ciclista deve estar atento ao fluxo de veículos, já que muitos motoristas não respeitam a distância mínima do ciclista, recomendada de 1,5 metro. E recomendado evitar rodovias com tráfego intenso de caminhões. Ao realizar uma ultrapassagem, os caminhões geram correntes de ar e isso pode desequilibrar o ciclista. “Não dependa de sinal de mãos para ser visível, use equipamentos refletivos. Um caminhão carregado com 40 toneladas a uma velocidade de 80 quilômetros por hora precisa, em média, de 97 metros para parar totalmente.

Da Redação

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

doze − 11 =