Emdhap: João Manoel é exonerado e Kátia Mesquita segue como diretora financeira

João Manoel foi exonerado da presidência da Emdhap; já Kátia Mesquita segue no cargo de diretora financeira (Crédito: Arquivo/JP)

Em meio a uma ação por improbidade administrativa movida pelo Ministério Público, o diretor-presidente da Emdhap (Empresa Municipal de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba), João Manoel dos Santos, foi exonerado do cargo pelo prefeito Barjas Negri (PSDB). A exoneração de Santos e a nomeação do substituto foram publicadas no Diário Oficial do Município no dia 31 de dezembro.

A prefeitura não informou o motivo da saída de Santos, mas confirmou que é definitiva. Já a substituição, pelo engenheiro Fernando Motta, é interina, segundo informou a administração municipal.

Em nota, a assessoria de imprensa informou que Santos prestou importantes serviços durante os dois anos (2017-2019) que atuou como diretor-presidente da Emdhap. “É preciso ressaltar que, na gestão de João Manoel, a Emdhap entregou cerca de 700 escrituras e atuou fortemente na urbanização de comunidades. E também aproximou o atendimento da Emdhap com a população”, traz a nota do setor de comunicação.

Em novembro, o Ministério Público apresentou uma ação de improbidade administrativa contra o Santos enquanto ex-presidente da Câmara de Vereadores de Piracicaba, e a ex-diretora administrativa da Casa, Katia Mesquita. O promotor Luciano Gomes de Queiroz Coutinho pediu à Justiça o afastamento dos dois.

A ação pública de improbidade administrativa aponta que houve superfaturamento e um prejuízo de R$ 355,4 mil aos cofres públicos na obra do Centro de Documentação no prédio da Câmara de Piracicaba.

Kátia chegou a ser afastada do cargo de diretora financeira da Emdhap por decisão da Justiça, mas já retornou ao cargo, segundo informou a prefeitura ontem.

No final do mesmo mês, o vereador Laércio Trevisan Jr. (PL) protocolou um pedido de investigação pelo fato de a prefeitura manter o presidente e a diretora na Emdhap, haja vista as investigações e denúncias.

A prefeitura foi questionada ontem se a exoneração de Santos foi motivada pelas investigações do Ministério Público, mas não houve conformação.

PRIORIDADE

O engenheiro Fernando Motta foi nomeado de forma interina como diretor-presidente da Emdhap. Atualmente ele é funcionário de carreira da empresa municipal de habitação. Nascido em Piracicaba ele tem 58 anos, é casado, formado em engenharia civil pela EEP (Escola de Engenharia de Piracicaba), em 1985.

Motta trabalhou em empresas privadas de 1986 a 1997. Em abril de 1998 foi contratado pela Emdhap por meio de concurso público, como engenheiro civil.

Por meio da assessoria de imprensa ele informou que as prioridades como diretor-presidente, são o foco na urbanização e regularização fundiárias de núcleos de interesse social.

Beto Silva

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 × 5 =