Empate e vaias pressionam Náutico antes de clássico

Empate e vaias pressionam Náutico antes de clássico
Fonte: Agência Brasil

Neste domingo (1), às 16h (horário de Brasília), o Náutico visita o Santa Cruz pelo Campeonato Pernambucano. Antes do clássico, porém, o Timbu ganhou uma dor de cabeça. O empate por 1 a 1 com ABC, na quinta-feira (27), pela quinta rodada da Copa do Nordeste, irritou o torcedor alvirrubro que compareceu ao Estádio dos Aflitos, em Recife. Após o apito final, além das vaias ao time, parte da torcida chamou o técnico Gilmar Dal Pozzo de “burro”.



“Eu estranharia se o torcedor, empatando em casa, aplaudisse. É uma revolta. Não vou dizer se é normal. A sequência de jogos foi difícil, fomos eliminados da Copa do Brasil, mas voltamos à nossa realidade, que é a Copa do Nordeste e o Pernambucano, que estamos bem encaminhados. Tenho que buscar soluções [ao comentar lesões no time]. Não é da noite para o dia. O torcedor tem que entender porque é difícil. Ter lucidez agora é importante”, disse o treinador, que levou o Náutico ao título da Série C no ano passado.

Jogo

Com a bola rolando, o ABC saiu na frente com Jaílson, mas Bruno (contra) deixou tudo igual. Com o empate, o Náutico caiu para a terceira posição do grupo B, com oito pontos. Já a equipe potiguar perdeu a chance de entrar na zona de classificação do grupo A (os quatro primeiros de cada chave se classificam). Pelo menos subiu um degrau: é o sexto, com os mesmos cinco pontos e saldo de gols (-1) do quinto, que é o CRB, mas ficando atrás pelo número de gols marcados (5 a 3).

A queda de posição do Náutico no grupo B é porque o Vitória se deu melhor no outro jogo de quinta-feira (27) pela Copa do Nordeste. O Rubro-Negro assumiu o segundo lugar, com nove pontos, ao superar o CRB por 2 a 1, no Barradão, com gols de ex-jogadores do time alagoano. Léo Ceará e Alisson Farias. Xandão descontou para a equipe de Maceió, que saiu da zona de classificação do grupo A, graças ao tropeço em Salvador e ao empate do Sport com o América-RN, no último sábado (22).

Empate e vaias pressionam Náutico antes de clássico