Empresa Via Ágil registra boletim de ocorrência contra ex-funcionários

1
1.164 views
Dia em que ocorreu a manifestação dos ex-funcionários (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A empresa Via Ágil (Transporte Coletivo de Piracicaba SPE LTDA) solicitou instauração de inquérito policial contra cinco cinco ex-funcionários que lideram manifestações que reivindicam o pagamento das verbas rescisórias pela quebra de contrato de forma amigável entre a empresa e a prefeitura de Piracicaba. Os ex-funcionários foram intimados a comparecer na Deinter-9 (Delegacia Seccional de Piraciacba) ontem para prestar esclarecimentos.


De acordo com Carlos Alberto Ribas, um dos intimados, a empresa alegou que os manifestantes “estivessem ameaçando diretores” ou fazer vandalismo em ônibus. Ribas nega. “Nós fizemos manifestações, sempre fazendo pacificamente, pegaram áudio [do manifesto] e entregaram como se a gente tivesse ameaçando diretores, ameaçando colocar fogo em ônibus, coisa que nada disso foi verdade”, relata o ex-funcinário da Via Ágil.

A reportagem tentou contato com a empresa Via Ágil por diversas maneiras durante ontem, para ter o posicionamento dela, mas não obteve sucesso.

O contrato entre a prefeitura e a Via Ágil foi rescindido em maio deste ano e desde então os funcionários esperam para receber as verbas rescisórias. O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Urbano de Piracicaba conseguiu liminar na Justiça que bloqueou o valor da dívida da prefeitura com a Via Ágil para que o valor seja usado no pagamento dos ex-funcionários.

Para isso, a prefeitura precisa enviar um PL (Projeto de Lei) à Câmara no qual reconhece a dívida “provocada pelo desiquilíbrio do sistema, por conta da diminuição do número de passageiros transportados nos últimos 12 meses, e o não reajuste do preço da tarifa”, como informou por meio da assessoria de imprensa.

De acordo com a prefeitura, o PL está pronto e será protocolado na Câmara quando o acordo, entre os funcionários e a Via Ágil, foi homologado na Justiça do Trabalho pelo Sindicato. “A prefeitura vai protocolizar o PL na Câmara para poder pagar o reequilíbrio parceladamente”, informou em nota.

De acordo com o presidente do Sindicato, João José Soares, a entidade continua trabalhando neste final de semana para que os ex-funcionários interessados no acordo assinem o documento. Até ontem, cerca de 420 pessoas tinham assinado, segundo Soares.

O acordo é individual e o sindicalista informou que chegou-se ao valor por meio de contas dos anos trabalhados e demais especifidade de cada trabalhador. Entretanto, alguns ex-funcionários avaliam que terão prejuízo caso o aceitem.

Andressa Mota

1 COMMENT

  1. Eu sou um de q foi intimado a comparecer na delegacia, um absurdo oq a empresa esta fazendo, nao nos pagam e ainda querem tirar nosso direito de se manifestar. O sindicato quer que aceitamos o acordo imposto pela via agil q reduz o pagamento das homilogaçoes quase pela metade, e ainda querem pagar parcelado. Muitos nao querem ter seus direitos prejudicadicados, recebi varios audios onde dizem que o rh junto com o adm da trans acreana estao coagindo funcionarios a aceitar o acordo, ou aceita ou é mandado embora, essa semana varios q se opuseram a aceitar o acordo foram demitidos. Uma vergonha oq esta acontecendo no transporte de piracicaba. Muda as cor dos onibus mas sao sempre os mesmo. Isso tem q acabar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezessete − três =