Livros são ótimos para compor mesas de centro

Seja em uma estante, prateleira ou até disposto sobre a mesa de centro, uma coisa é certa: os livros conferem um toque final à decoração de qualquer ambiente. Além de visualmente instigantes, eles carregam consigo um pouco da personalidade de quem mora, compondo um décor afetivo. É a percepção da arquiteta Ieda Korman, do Korman Arquitetos. Ao lado de sua sócia, Carina Korman, as profissionais trouxeram diversas dicas de como empregar o livro na decoração do lar.

Segundo Ieda, os livros são um dos itens decorativos mais versáteis, se encaixando bem em todo ambiente da casa. “Adoramos utilizá-los sobre aparadores e mesas de centro ou laterais, por exemplo, compondo harmonicamente com outros objetos”, opina.

Nesse caso, a arquiteta lembra que o ideal é escolher os volumes mais especiais, com capas dura e impactantes. “Livros de arte e fotografia, ou aquela impressão comemorativa de uma obra importante para o morador são ótimas escolhas”, diz. Além de trazerem cor e personalidade, eles permitem uma fácil personalização e adaptabilidade do décor – basta rearranjar os volumes.

As estantes e prateleiras também ficam mais atrativas quando recebem volumes de livros. “Arrumando-os de pé, com as diferentes cores de lombada, tamanhos e espessuras, cria-se um espaço interessante e personalizado”, comenta. Mas não existem regras: há quem prefira ordenar por tamanho, mantendo proporcionalidade, ou cor, formando uma paleta harmônica. Tudo depende do gosto de cada um. “Para um visual contemporâneo, é possível combinar livros na vertical e horizontal, trazendo sensação de movimento para a estante”, diz.

Para facilitar, Ieda indica uma organização por ordem alfabética, tornando o acesso ao item desejado fácil e intuitivo. “O alto da estante deve receber os volumes menos procurados, mas que pretendem ser guardados, ao passo que os livros ainda não lidos ou mais consultados devem estar ao alcance das mãos”, complementa.

Dispor livros sobre o aparador dá um toque a mais

Segundo Ieda e Carina Korman, existem diversos modelos de estantes e prateleiras no mercado. “A escolha se pauta, em primeiro lugar, pelo tamanho do acervo disponível”, explica Carina. Os modelos sob medida são os mais fáceis de acertar, pois se adéquam perfeitamente às necessidades do projeto.

Prateleiras altas também são boas escolhas, pois não comprometem a circulação. “É possível pensar em uma estante exclusiva para os volumes, ou optar por uma composição fluida, valendo-se também de objetos, quadros, porta-retratos e até vasos de planta”, opina a profissional, que acredita que todo cantinho da casa pode receber exemplares. “A criatividade é quem manda. É possível projetar nichos para abrigar os livros ou ate mesmo reaproveitar malas antigas, gavetas e até caixotes para acomodar os exemplares”, afirma.

Solução foi transformar o corredor em biblioteca

E para aqueles apaixonados pela leitura, que possuem um vasto acervo? Nesse caso, Ieda e Carina Korman indicam se valer de cantinhos muitas vezes esquecidos da casa, como a área sob a escada ou até corredores. “É possível criar uma circulação multiuso, levando a biblioteca para o corredor. Nesse caso, é importante sempre se atentar ao tamanho da estante, tomando cuidado para não comprometer a circulação”, diz Ieda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

18 + 6 =