Entidades e setor produtivo protestam contra medidas do governador do estado

Entidade concentraram na Paulista e seguiram protesto pelo centro | Foto: Claudinho Coradini/JP

Representantes de entidades comerciais e industriais de Piracicaba, junto a proprietários de bares, restaurantes e concessionárias de carros seminovos se reuniram sob forte sol das 14h de ontem para reforçar o descontentamento com medidas de saúde pública e econômica adotadas pelo Governo do Estado de São Paulo.

O manifesto contra a restrição do horário de funcionamento dos estabelecimentos e o aumento do ICMS e outros impostos, organizado pela Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), reuniu cerca de 100 pessoas no bolsão do estacionamento da Estação da Paulista, seguiu em carreata com buzinaço pela rua Governador Pedro de Toledo e demais corredores comerciais da cidade.

Durante o ato, carros eram adesivados com os dizeres “Doria, trabalhar é nosso direito, sempre respeitamos a saúde; sem aumento do ICMS”, enquanto um veículo ostentava uma bandeira do Brasil no capô.

Para o presidente da Acipi, Luis Carlos Furtuoso, toda forma de coibir trabalho tem efeito negativo para Piracicaba e todo o estado. “Quando o comércio funcionou nas fases amarela e verde, os casos de covid-19 na cidade diminuíram. Voltaram a subir após o fim do ano, quando pessoas fizeram mais reuniões e também devido às festas clandestinas”.

Para o empresário Jorge Aversa Jr, o fechamento do comércio aos fins de semana e o aumento exorbitante do ICMS tira a isonomia do setor produtivo da cidade. “A isonomia de todo o setor tem que ser respeitada”. Sobre o imposto sobre as operações com veículos usados, cujo aumento foi de 207%, ele afirma que a decisão do governador João Dória vai ser “um tiro de pé”. “Sem comércio, o mercado fica desaquecido para todos”, argumenta.

Também participaram do protesto a Apaflar (Associação Piracicabana de Alimentação Fora do Lar), Apapir (Associação da Indústria de Panificação e Confeitaria de Piracicaba e Região), CDL Piracicaba (Câmara Dirigentes Lojistas de Piracicaba), Coplacana (Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo), Simespi (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, de Material Elétrico, Eletrônico, Siderúrgicas, Fundições e Similares de Piracicaba e Região) e Sincomércio Piracicaba (Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba e Região).

Erick Tedesco

Leia mais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

9 − 3 =