Esalqtec chega aos 15 anos como protagonista do agtech brasileiro

Sede fica na Fazenda Areão, no campus da Esalq | Foto: Divulgação

A Esalqtec, incubadora tecnológica da Esalq/USP, completa 15 anos de fundação neste mês como uma das principais instituições de apoio e incentivo à inovação e ao empreendedorismo do agronegócio brasileiro e, mais recentemente, protagonista do movimento agtech no País. Instalada na Fazenda Areão, em área no campus da Esalq, a incubadora tem um espaço de 10 mil m², com oito módulos de 32 m² cada, destinados às empresas tecnológicas, além de coordenadoria, secretaria, recepção e sala de reuniões.


Atualmente a incubadora conta com 18 empresas graduadas, seis empresas residentes, 116 empresas associadas e 11 projetos de pré-incubação. Segundo o gerente-executivo da Esalqtec, que acompanha todo este processo desde 2005, Sergio Marcus Barbosa, a incubadora disponibiliza espaço, serviços, infraestrutura, orientação e estrutura administrativa, em um sistema compartilhado de incubação.

“Nossos principais objetivos são apoiar as iniciativas empreendedoras do Vale do Piracicaba, na formação e consolidação de projetos inovadores que têm uma base científica relevante, transformando este conhecimento em novos produtos ou serviços tecnológicos em prol do agronegócio brasileiro e mundial. Somos um pequeno ecossistema dentro de um grande ecossistema agtech, que, além das suas empresas residentes, comporta também várias associadas de destaque no setor”, explica.

LEIA MAIS:


A Esalqtec atende a empreendedores que detectam uma oportunidade de negócio, querem viabilizá-lo, mas necessitam de um espaço e período para término da definição do empreendimento, comprovação da viabilidade técnica ou, ainda, elaboração do protótipo e viabilização do capital para o início do negócio.

“A incubadora é o empreendedorismo ocorrendo dentro da universidade, dando assessoria para que as pesquisas e iniciativas dos alunos se tornem negócios e onde o a geração de conhecimento e tecnologia dá origem a novas empresas”, define o presidente do Conselho Deliberativo da Esalqtec, Felipe Pilau.


O protagonismo da Esalqtec com o movimento agtech brasileiro está profundamente ligado ao Vale do Piracicaba (AgTech Valley). Barbosa conta que, em 2015, os membros da incubadora perceberam que a cidade tinha todas as características de um ecossistema tecnológico, pois unia a academia, empresas, startups, empreendedores e pessoas ligadas a esse movimento.

“Dessa forma, a Esalqtec foi a principal articuladora para que o Vale do Piracicaba fosse reconhecido como um ecossistema dinâmico e atuante. Na nossa percepção, os setores da economia local, comércio, indústria e agricultura, contribuíram e continuam contribuindo com a evolução deste ecossistema, e quando são reconhecidos, entendemos que todo cidadão local é participante deste contexto”, explica.

Da Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

três × 2 =