As 29 escolas que integram a rede privada de Piracicaba divulgaram uma deliberação conjunta que anuncia a antecipação das férias escolares. De acordo com o documento, o início fica a critério de cada instituição de ensino e, muitas delas, estipularam a partir de hoje. No Estado e no Município, as aulas estão apenas suspensas até o final deste mês de abril e, em ambas as esferas, ainda não existe um planejamento das respectivas secretarias de Educação em antecipação das férias. Ontem foi publicada medida provisória (934/2020), que estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo da educação básica e do ensino superior decorrentes das medidas para enfrentamento da situação de emergência sobre a pandemia do Covid-19 e que desobriga as instituições de ensino cumprirem os 200 dias letivos.

De qualquer forma, ter as crianças e adolescentes por mais tempo em casa, para muitos pais e responsáveis, significa readaptar rotinas e encontrar fórmulas para ampliar a participação na educação dos filhos.

A arquiteta Milene Aparecida Lara Bonetti está com os dois filhos de férias desde ontem (1). Para ela, ter o Luis Gustavo, de 10 anos, e Maria Heloísa, de 14, em casa, durante este período da pandemia da Covid-19, é um “alívio”, porque não os expõe aos perigos da disseminação da doença. “Mas não terá um impacto muito grande, porque eles já estão há algumas semanas por aqui com aulas online”.

Com mais tempo do convívio em família, Milena destaca que a experiência de mãe e filho está maior. “Deixamos de comer fora e, em casa, ficamos mais próximos, conversamos e brincamos mais. O vírus é sério, mas não pode ser limitador das relações humanas”, conta.

Erika Valim Vicente, professora e psicoterapeuta, também se prepara para as férias dos dois filhos (Raul, com 16 anos, e Ramona, com 13) no ensino privado. Ela não concordou com o anúncio antecipado das férias, pois eles estavam engrenandos neste novo estilo. As escolas podiam continuar neste sistema online. É um sistema mais leve e autônomo de educação”, comenta.

Com as aulas suspensas na rede estadual, os filhos da jornalista Cristiane Bonin, Rita, de 9 anos, e Raul, de 12, estão permanente em casa já há 20 dias. “Faço home office e meu marido é professor, também sem ir à escola, ficamos todos juntos durante 24 horas. É como se fosse feriado. É preciso conversar bastante com eles, explicar a situação imposta à sociedade pelo vírus, além de gastar energia com as crianças”.

Erick Tedesco

3 COMENTÁRIOS

  1. Desnecessário seu comentário muitos pais sacrificam muito para pagar
    É não é porque pode é um sacrifício
    Boca fechada para dar palpites na vida dos outros

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 + oito =