Esportes está sem conselho municipal regular desde 2019

Foto: Claudinho Coradini/JP

Requerimento do vereador Pedro Kawai (PSDB) indica contradições e ausência de gestão de convênios

A Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras) está sem conselho municipal regular desde 2019. Neste ano, o Conselam (Conselho Municipal de Esportes, Lazer e Atividades Motoras) não existe – a última gestão acabou em 2020. O Executivo prevê reunião para nova formação somente em outubro. A situação deixa “abandonada” 29 ações como a gestão do fundo municipal de esportes e registro de entidades não-governamentais ou pessoas físicas e jurídicas que representam agrupamento de munícipes os quais desenvolvam programas, projetos, atividades, ações ou serviços na área de esportes, lazer e atividades motoras.

As informações foram obtidas por meio do requerimento à Selam de autoria do vereador Pedro Kawai (PSDB). Segundo a secretaria, a gestão do biênio 2019-2020. “A composição do Conselam, realizada dia 20 de outubro de 2018, durante a 7º Conferência Municipal de Esportes, Lazer e Atividades Motoras de Piracicaba não possui decreto nem ata assinada”, diz a secretaria, indicando que a gestão operou de forma irregular.

“Eu vou pedir mais informações sobre o assunto. Pode ter acontecido um erro de comunicação ou a secretaria está enganada”, diz o vereador Kawai. No Portal dos Conselhos Municipais de Piracicaba, a última ata postada de 2018 é referente à reunião de 22 de fevereiro, meses distante da reunião que decidiria, tradicionalmente em outubro, a gestão seguinte.

Quanto à regularização, o último decreto, sob o número 17.987, de nomeação do Conselam, do então prefeito Barjas Negri, só acontece em 20 de agosto de 2019 com nomes diferentes da ata apresentada pelo Executivo – sem assinatura da comissão organizadora composta pelos servidores Rivadávia Salvador, Clévis Francisco Lorenzi Spada e Roger Nascimento Carneiro – em resposta ao requerimento do vereador Kawai.

“Estamos sem conselho e sem convênios para o esporte. É um prejuízo enorme. Também o conselho é a porta de entrada para as discussões de políticas públicas. Como todo respeito: se a gestão anterior não fez por que não fazer nesta? A nova reunião do conselho ainda irá demorar 60 dias. É preciso organização”, comenta Kawai.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

4 × dois =