Estado anuncia a Região Metropolitana de Piracicaba

(Foto: Amanda Vieira/JP)

A Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo anunciou ontem a criação da RMP (Região Metropolitana de Piracicaba). O processo de implantação da região metropolitana deve passar ainda por algumas etapas como a realização de audiência pública, consulta aos municípios e a criação do conselho de participação.

“A audiência já devia ter ocorrido, mas precisou ser adiada devido à pandemia. Até o final de abril ela deve ser realizada e o projeto será apresentado para a aprovação da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo”, informou o secretário Marco Antônio Scarasati Vinholi, nesta segunda-feira. O projeto de lei para criação da RMP foi apresentado pelo deputado estadual Roberto Morais (Cidadania) em 2014. O parlamentar comemorou a conquista que, em sua avaliação, vai trazer muitos benefícios para a região. “Nós estamos buscando esse reconhecimento há muito tempo, já havíamos conquistado o Aglomerado Urbano e agora damos um passo maior que vai facilitar a vinda de recursos para o desenvolvimento dos municípios envolvidos”, pontuou Morais.

A Região Metropolitana de Piracicaba vai contar com 25 cidades integrantes, 23 que já fazem parte do Aglomerado (Águas de São Pedro, Analândia, Araras, Capivari, Charqueada, Conchal, Cordeirópolis, Corumbataí, Elias Fausto, Ipeúna, Iracemápolis, Laranjal Paulista, Leme, Limeira, Mombuca, Piracicaba, Rafard, Rio Claro, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Gertrudes, Santa Maria da Serra e São Pedro) e outras duas que solicitaram a integração ao grupo (Pirassununga e Santa Cruz da Conceição) por se sentirem mais interligadas a Piracicaba do que a outras Regiões.

Juntos, estes municípios somam cerca de 1,5 milhão de habitantes (3,25% da população paulista).

Segundo a secretaria estadual, com a criação, a região terá uma governança mais organizada com acompanhamento direto por uma agência que faz a gestão de câmaras técnicas, passa a ter interação regional mais forte, trabalhando em conjunto. “Um dos pontos fortes da iniciativa é o planejamento organizado da região, com estudos sobre onde chegar nos próximos 5, 10 e 15 anos. É criado um fundo com recursos dos municípios e do Estado, podendo captar até investimentos do Governo Federal para projetos de interesse regional” destacou Vinholi. Segundo o Secretário, o PIB da região é de R$ 76,82 bilhões, cerca de R$ 44 mil per capita, nível comparado a regiões europeias.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito − 14 =