Estado confirma aumento de 5% a polícias civis, militares, agentes, peritos e bombeiros

Pacote vale a partir de 2020 (Divulgação)

O Pacote de Valorização das Carreiras Policiais foi anunciado pelo governador João Doria (PSDB), nesta quarta-feira (30/10). Entre as propostas estão o reajuste de 5% do salário base dos policiais militares, civis e técnico-científicos, agentes de segurança penitenciária e de escolta e vigilância penitenciária, tanto aqueles que estão em atividade, como os aposentados.

“Reafirmamos o nosso compromisso de melhorar ano a ano a condição salarial dos policiais e do sistema prisional. Durante quatro anos, nós promoveremos melhoras para as polícias e para os agentes que atuam no sistema prisional. Este é um compromisso de governo”, disse Doria.

O deputado estadual Roberto Morais (PPS) disse que vai continuar atuando como líder do governo para conseguir a valorização das policiais. “Vamos brigar para que seja uma das mais bem pagas do país. Os policiais já estão há vários anos sem reajuste. Percebemos nos dez meses da atual gestão do Doria tivemos grandes avanços. Um deles é o 10º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) que será inaugurado no dia 16 de dezembro, em Piracicaba. Por meio do nosso trabalho com o prefeito Barjas (Negri, PSDB) conseguimos antecipar a vida do Batalhão para a cidade”, disse Morais.

O pacote também prevê assistência jurídica fornecida pelo Estado, em casos em situação de trabalho. “Só não estão incluídos questões administrativas e casos envolvendo corrupção”, advertiu Dória.

O programa de bonificação por resultados, que era trimestral, passará a ser bimestral e também vai equiparar o auxílio alimentação. O valor pago por meio desta contribuição será de até R$ 796, variando de acordo com a jornada de trabalho de cada profissional, além do adicional de insalubridade.

DESAPONTAMENTO

A presidente do Sindpesp (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo), Raquel Kobashi Gallinati disse que recebe notícia de valorização da Polícia Civil pelo governador do Estado de São Paulo com muita tristeza. “O governador gerou grande expectativa para toda a categoria e o que cumpriu foi tão somente, o que a legislação estabelece. É necessário lembrar que a Polícia Civil do Estado de São Paulo conta com defasagem salarial há vários anos chegando a cerca de 50% na remuneração de seus servidores. Somente após um acréscimo considerável é que se poderá falar em efetivo aumento salarial”, enfatizou Raquel.

O deputado Bruno Lima (PSL) e delegado da Polícia Civil disse que o anúncio está longe da necessidade dos policiais. “Não vou tratar os 5% como aumento, está longe do que a gente precisa, não temos opção, vamos continuar brigando para a nossa valorização. Isso não é aumento. Foi um penduricalho colocado aos policiais”, destacou Bruno Lima.

 

Cristiani Azanha

[email protected]