Novos índices semanais de avanço da covid-19 levaram o Estado a elevar o alerta. (Foto: Amanda Vieira/JP)

O Governo do Estado de São Paulo apresentou ontem a segunda atualização do Plano São Paulo para acompanhamento da evolução da pandemia nas cidades paulistas. Apesar do aumento da capacidade de atendimento hospitalar, os novos índices semanais de avanço do coronavírus levaram o Estado a elevar o alerta em praticamente todo o interior paulista.


Na Capital e demais regiões – Piracicaba, Araçatuba, Campinas, Franca, Marília, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Sorocaba e Taubaté – que estavam na fase 2 de retomada restrita desde o início do mês, houve estabilidade na maioria dos índices, segundo avaliação do governo.

Todas as regiões permanecem na mesma classificação até a próxima atualização de painel, prevista para o dia 17.


Com os resultados desta quarta, a maior parte do Estado está na fase laranja, que não permite a reabertura de bares, restaurantes, salões de beleza ou academias. Nas três regiões classificadas na etapa vermelha, só estão autorizadas atividades comerciais e serviços essenciais.


Indústria e construção civil continuam com funcionamento normal em todo o estado. A nova classificação anunciada nesta quarta entra em vigor a partir da próxima segunda-feira (15). Até lá, as prefeituras de municípios que tiveram restrição ou flexibilização de serviços deverão publicar decretos municipais adequando as normas locais de quarentena ao novo painel do Plano São Paulo.

OCUPAÇÃO DA UTI

Na média estadual dos últimos sete dias, houve redução na taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva para covid-19 de 72,6% para 69,1%, além de aumento na média de vagas por 100 mil habitantes de 15,4 para 18,1.

De acordo com o Estado, Piracicaba está com a taxa de ocupação da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em 63%.

Piracicaba registrou ontem 29 novos diagnósticos de covid-19, subindo para 1.103 . (Foto: Amanda Vieira/JP)

No mesmo período, o total de casos e mortes teve quedas reduzidas, de 1% e 3% respectivamente, mas as internações pela doença subiram 7%, conforme apontou a Secretaria de Estado da Saúde.

Segundo a pasta, o reforço na rede hospitalar foi substancial nos últimos 15 dias, quando o Governo de São Paulo intensificou a distribuição de respiradores e ampliou o número de vagas em UTIs para pacientes graves com coronavírus.

No dia 25 de maio, o total de leitos de terapia intensiva no Estado era de 6.542, foi a 7.134 no dia 1º de junho e, atualmente, é de 7.610 e deve crescer ainda mais até o fim do mês.

Desde abril, as projeções do Estado já apontavam que a contaminação estava mais acelerada no interior do que na Capital. Com os últimos dados do Plano SP, o governo decidiu ampliar restrições às atividades econômicas não essenciais em cinco regiões.

Araraquara e Bauru voltaram da fase 3 (amarela) para a 2 (laranja), enquanto que as áreas de Ribeirão Preto, Barretos e Presidente Prudente voltaram à etapa 1 (vermelha) de máxima restrição.

NOVOS CASOS PIRACICABA
A cidade de Piracicaba registrou ontem 29 novos diagnósticos de covid-19, subindo para 1.103 casos positivos até o momento. Já o número de mortos, conforme informou a prefeitura, se mantém nos 43 óbitos.

Os 29 casos confirmados são 16 homens com idades entre 18 e 90 anos e 13 mulheres na faixa etária de 32 a 92 anos.

DESINFECÇÃO
Equipes da Prefeitura de Piracicaba prosseguem realizando as ações de desinfecção em diversos pontos da cidade, como medida de combate à expansão do coronavírus. Entre os dias 3 e 9 de junho, a força-tarefa higienizou áreas externas e o entorno de unidades de saúde, pontos de ônibus, departamentos públicos, casas de repouso e outros locais prioritários.


No período foram higienizados equipamentos e unidades de saúde. Também houve a desinfecção do calçadão da Rua do Porto; praça José Bonifácio; Plantão da Polícia Civil (rua Vergueiro); Centro de Ressocialização Feminino Carlos Sidnes de Souza; entre outros locais públicos.

Iniciado no final de março, o trabalho de desinfecção é coordenado pela Defesa Civil e realizado com a participação de equipes da Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente), Sema (Secretaria de Agricultura e Abastecimento), Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), Secretaria Municipal de Saúde, Brigada de Emergência, colaboradores da Piracicaba Ambiental e, eventualmente, da iniciativa privada.

CENÁRIO NO ESTADO
Nesta quarta-feira foram registrados no Estado de São Paulo 9.862 óbitos e 156.316 casos confirmados pelo novo coronavírus. Entre as pessoas diagnosticadas com a covid-19, 29.616 mil foram internadas, curadas e tiveram alta hospitalar.


Dos 645 municípios do território paulista, houve pelo menos uma pessoa infectada em 563 cidades, sendo 298 com um ou mais óbitos.


As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 76,6% na Grande São Paulo e 69,1% no Estado. O número de pacientes internados é de 13.076, sendo 8.123 em enfermaria e 4.953 em unidades de terapia intensiva.

  Entre as vítimas fatais estão 5.693 homens e 4.169 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,4% das mortes.

Segundo as informações do Estado, observando as faixas etárias, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (2.329), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (2.280) e 80 e 89 anos (1.962). Entre as demais faixas estão os: menores de 10 anos (16), 10 a 19 anos (27), 20 a 29 anos (74), 30 a 39 anos (362), 40 a 49 anos (725), 50 a 59 anos (1.421) e maiores de 90 anos (666).

Beto Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

17 + dezesseis =