Estado revê uso de máscara e intervalo entre doses

Foto: Alessandro Maschio/JP

Uso de máscara continua obrigatória em locais abertos

O Governo do Estado de São Paulo decidiu atender recomendação do Comitê Científico para manter a exigência do uso de máscara em espaços abertos no Estado. Após consulta, o órgão técnico decidiu pela manutenção da obrigatoriedade com a confirmação da variante ômicron do coronavírus em São Paulo. O Governo do Estado previa a flexibilização da medida a partir do próximo dia 11. Também nesta quinta-feira (2), o governo paulista anunciou a redução de cinco para quatro meses o intervalo da dose adicional da vacina de covid-19 no Estado. A medida é outra recomendação do Comitê Científico do Coronavírus diante do atual cenário epidemiológico da doença no mundo e a proximidade das festividades de final de ano.
“Decidimos adotar essa medida por prudência com o cenário epidemiológico no estado. Todos os números demonstram que a pandemia está recuando em São Paulo, mas vamos optar pela precaução. O nosso maior compromisso é com a saúde da população”, disse o governador João Doria (PSDB). Na recomendação feita ao Governo de São Paulo, o Comitê Científico apontou que há incertezas quanto ao impacto da variante ômicron às vésperas do fim de ano. Os períodos de Natal e do Réveillon costumam provocar grandes aglomerações, o que facilita a transmissão de doenças respiratórias como a covid-19.

Quanto ao intervalo da vacina, a medida vale para quem tomou duas doses dos imunizantes do Butantan/Coronavac, da Fiocruz/AstraZeneca/Oxford e da Pfizer/BioNTech e vai beneficiar cerca de 10 milhões de pessoas que se vacinaram nos meses de julho e agosto. Além do cenário epidemiológico ao redor do mundo, a medida levou em consideração que São Paulo é porta de entrada, via portos e aeroportos, de pessoas de todo o mundo e o Brasil ainda não tem a obrigatoriedade da apresentação de comprovante de esquema vacinal completo para os viajantes. Nesta semana, SP também confirmou três casos da variante Ômicron, que também já havia sido diagnosticada em diversos países, podendo impactar no cenário epidemiológico mundial.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

um + oito =