Pedro Borges recebeu mensagens com seus dados e de familiares com ameaça de torná-los público | Foto: Reprodução

O estudante Pedro Augusto Magalhães Bastos, 19, recebeu ameaça de ter dados seus e de seus familiares expostos após compartilhar em seu perfil no Facebook captura de tela com lista dos candidatos a vereador que receberam auxílio emergencial, publicada pelo Jornal de Piracicaba, e criticar o candidato Edilson de Madureira (DEM), que nega ter envolvimento.


“Que vergonha e desgosto, Edilson De Madureira, qual a sua credibilidade para assumir um cargo de vereador se você não tem nem respeito com o erário público?”, escreveu Pedro em seu perfil no sábado (7).

Após receber críticas e pedidos para apagar a publicação, em especial do perfil “Joao Cicero”, que usou palavras que Pedro julga serem difamatórias, na terça-feira (10), segundo o estudante, ele recebeu mensagens no particular do perfil “Renzzo Moralles”, que enviou fotos com seus dados e de familiares, como números de RG, CPF, endereços e telefones.


“Dá uma olhada o que tenho aqui”, escreveu o perfil “Renzzo Moralles”. Pedro questionou o que queria e teve como resposta, em diversas mensagens: “Apaga o post. Só isso. Vlw. Vou soltar dados da família toda no face. Ou apaga ou vou soltar tudo hoje. Vou expor sua família toda. Agora duvida e não apaga. Fui”.

Pedro conta que o perfil “Joao Cicero” também enviou mensagem no particular de um familiar próximo pedindo para que o post fosse apagado. Além disso, conta que recebeu diversas ligações pedindo para que o post fosse apagado.
O estudante acredita que os perfis sejam falsos e tenham alguma ligação com o candidato. “Qual é a finalidade de alguém fazer fortes ataques sem ter nenhuma ligação com uma pessoa?”, questiona Pedro.


Pedro enviou à reportagem documento com capturas de telas com os comentários e mensagens. Ele registrou um B.O. (Boletim de Ocorrência) e afirma que vai recorrer à Justiça. “Estou entrando, ainda não oficializou, mas estou entrando com processo na esfera eleitoral e criminal por crime de ameaça e de injúria”, afirma.

O pastor Edilson Alves, mais conhecido como Edilson de Madureira, é um dos 18 candidatos que constam na lista do TCU (Tribunal de Contas da União) que têm patrimônio superior a R$ 300 mil, declarado ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que receberam auxílio emergencial. A lista foi publicada pelo JP digital no sábado (7) e na edição impressa de domingo (8). À reportagem, o candidato afirmou ter recebido o auxílio por ter ficado cinco meses sem recursos. Disse ainda que sua empresa, que presta serviços ao Detran, ficou paralisada por conta da pandemia.


Questionado sobre as ameaças que Pedro recebeu após criticá-lo, por meio do advogado e coordenador jurídico da campanha, Leonardo Marianno, enviou a seguinte nota transita abaixo:

“A coordenação da Campanha do Pr Edilson de Madureira vem, por meio desta, dizer que os Perfis de Renzzo Moralles e João Cicero não representam os princípios e ideiais e nem as idéias de nossa campanha. Vivemos em um estado democrático de direito, onde e toda e qualquer ameaça deve ser rechaçada, porque a violência não é saída para democracia, o que define é o voto. Nos solidarizamos com jovem Pedro e estamos à disposição para debater qualquer assunto no âmbito democrático, no entanto não compactuamos com nenhum tipo de violência. Desejamos ao jovem Pedro as mais ricas bençãos e sucesso na vida, e um grande abraço de toda Equipe Pastor Edilson de Madureira. Na política temos adversários, jamais inimigos!”.


A reportagem entrou em contato com os perfis citados, mas até o fechamento desta edição não obteve resposta.

LEIA MAIS:

Andressa Mota

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

16 + 3 =