Falta d’água em 5 bairros gera questionamentos da Câmara

Segundo o Semae, problema deve persistir até setembro (Foto: Amanda Vieira/JP)

As falhas no abastecimento de água em bairros de Piracicaba foram o principal assunto na pauta de duas sessões extraordinárias realizadas nesta semana pela Câmara de Vereadores.Por meio de requerimento, parlamentares questionaram a prefeitura pela falta d’água, que também foram motivos de queixas de moradores em reportagens do Jornal de Piracicaba.


Nos bairros Bosque da Água Branca, Jardim Elite, Nova América, Piracicamirim e Eldorado/Cecap as torneiras secas e queixas da população motivaram a apresentação de dois requerimentos com pedidos de informações ao Poder Executivo.


Os documentos oficiais foram assinados pelos vereadores Adriana Cristina Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (PSL) e Laércio Trevisan Jr., do PL. As proposituras foram votadas na quinta-feira quando ocorreram duas reuniões extraordinárias. Coronel Adriana exibiu um áudio em que o síndico do condomínio Del Giardino 3 relata o problema da falta de água.
Segundo a vereadora, o problema também acontece nos condomínios Santa Clara, Spazio Montebello e Sagitários, localizados nos bairros Bosque da Água Branca, Jardim Elite, Nova América e Piracicamirim.


Nesta semana, o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) informou que a baixa vazão dos rios Piracicaba e Corumbataí causada pelo baixo índice de chuvas, a qualidade da água dos rios e o aumento da temperatura e o tempo seco, são os principais problemas enfrentados pela autarquia e que têm causado os problemas no abastecimento da cidade nas últimas semanas.


De acordo com o Semae, diante dessa situação, a produção de água foi reduzida e o volume produzido está abaixo da demanda, causando problemas de baixa pressão e falta de água localizada em alguns bairros de Piracicaba.


O Semae informou na ocasião que “está trabalhando para aumentar a produção, priorizando os serviços de manutenção nas estações de tratamento e na distribuição de água”. 


A autarquia acrescentou que a regularização completa do abastecimento de água na cidade só vai ocorrer no final da estiagem, provavelmente na primeira quinzena do mês de setembro.

Beto Silva