Fifa permitirá que estrangeiros que jogam na Rússia assinem com outros clubes

Foto: Fabrice Coffrini/AFP

A situação dos estrangeiros que atuam no futebol da Rússia pode ter uma resolução nos próximos dias. Segundo o jornal The New York Times, a Fifa vai permitir que jogadores de outros países assinem contratos temporários com novos clubes até o dia 30 de junho, quando se encerra a temporada europeia. Ao menos 100 atletas podem ser impactados pela decisão, que surge duas semanas após a invasão na Ucrânia pelas tropas russas.

Apesar da Fifa sinalizar com a possibilidade da assinatura de novos contratos, a ideia está aquém do que os grupos que representam jogadores e ligas mundiais desejam. De acordo com a publicação, a FIFPro, o maior sindicato mundial de jogadores, e o Fórum das Ligas Mundiais, uma organização abrangente para mais de 40 competições, solicitaram à entidade máxima do futebol que os atletas pudessem deixar a Rússia de forma permanente.

O fim de semana foi marcado por conversas entre a Fifa e os advogados dos órgãos que representam os atletas, mas as partes não chegaram a um consenso. Por meio de uma carta, a FIFPro sugeriu que alguns jogadores não se sentiam mais à vontade jogando por times russos após a invasão da Ucrânia.

“Esses jogadores estrangeiros podem, com razão, considerar que não estão mais dispostos a representar um time russo e devem poder rescindir imediatamente seu contrato com seu empregador sem enfrentar qualquer sanção de órgãos internacionais e se registrar em um novo clube sem serem restringidos pelos regulamentos do período de transferência”, diz a FIFPro.

A Fifa está entre as entidades que decidiram punir esportivamente a Rússia pelo ataque militar à Ucrânia. A entidade proibiu a seleção de disputar as partidas da repescagem para a Copa do Mundo, consequentemente deixando o país fora do Mundial do Catar. A Uefa, por sua vez, baniu os times russos das competições europeias.

A União Russa de Futebol (RFS, sigla em russo) anunciou na quinta-feira passada que vai recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS). De acordo com a federação, tanto a Fifa quanto a Uefa não cogitaram outras alternativas antes de sacramentar as punições. Além disso, a entidade afirma que a resolução não possui bases legais e viola as regras do fair play e o princípio do esporte.

Segundo as regras locais, os clubes russos podem ter até oito jogadores estrangeiros no elenco. O atual campeão russo, o Zenit São Petersburgo, conta com cinco brasileiros: Claudinho, Malcom, Yuri Alberto, Douglas Santos e Wendel. A equipe conta ainda com um colombiano, um croata e um jogador do Casaquistão.

O Krasnodar, tradicional clube do futebol russo, anunciou na semana passada que permitiria que jogadores e comissão técnica estrangeiros suspendessem seus contratos. O treinador da equipe, o alemão Daniel Farke, rescindiu com menos de dois meses sem comandar um único jogo.

Agência Estado

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezessete + cinco =