Fim de ano: vendas em alta de até 12% e 700 empregos temporários

Foto: Alessandro Maschio/JP

Para os lojistas a recomendação é investir em atendimento e loja; para emprego, buscar formação rápida

Entidades ligadas ao comércio estão otimistas quanto à abertura de vagas de emprego e vendas durante o fim do ano. O setor deve contratar de 700 a 500 temporários e faturar de 5% a 12% mais do realizado em 2020. Conforme a última convenção coletiva, trabalhadores do varejo e shopping em microempresas ganham a partir de R$ 1.232 de salário. Para vender mais, a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) recomenda investir no treinamento dos funcionários e na fachada da loja, incluindo renovação de pintura e uma boa vitrine. Aos que pretendem se recolocar no mercado de trabalho e que não tenham experiência – perfil correspondente ao primeiro grupo com grandes condições de um novo emprego – a dica é procurar por cursos profissionalizantes e apresentar um visual correspondente à vaga e ser comunicativo.

O vice-presidente da CDL, Antonio Pedro Carvalho, aposta em uma oferta de trabalho para atender a movimentação das festas de fim de ano superior a 700 postos temporários. “Isso porque, com a pandemia [de covid-19], muita gente foi dispensada.” Sobre o aumento das vendas, ele também aposta em um crescimento maior “porque atualmente não há nenhuma restrição nas compras [em locais físicos] e muita gente que deixou de presentear em outras datas deve comprar no fim de ano”.
O Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba e Região) também projeta ampliação de emprego e nos negócios. A entidade divulgou boas chances de haver de 500 a 600 contrações e o aquecimento do comércio deverá ser de 5% em relação ao mesmo período festivo de 2020. Segundo o presidente da entidade, Itacir Nozella, a melhora no cenário do setor se deve à flexibilização das restrições no combate à pandemia, fator que deve aumentar a circulação de consumidores, mesmo em um cenário de inflação elevada e juros mais altos.

O presidente da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), Marcelo Delfini Cançado, acompanha a análise mais otimista da CDL. “Assim como em todos os anos, esperamos que a maior quantidade de consumidores presentes no comércio de rua estimule a contratação de temporários, inclusive no setor de serviços, para atender a demanda reprimida pelo período pandêmico e que, em alguns setores, foi transferida para o online. Com o relaxamento das medidas de restrição, mas com todas as normas de segurança sendo atendidas, a tendência é que o consumidor prestigie o comércio e as empresas locais, já que Piracicaba é referência regional nesses setores. Assim, deverá haver a geração de empregos e renda, movimentando a economia da cidade”, comenta Cançado.

Aos interessados que buscam uma oportunidade de trabalho, Cançado lembra que esta é a chance de ser efetivado. “É importante lembrar aos interessados nessas vagas que, cursos como os de curta duração, são ideais para quem procura por diferenciais no setor”, diz o presidente da associação.

FERIADO
O comércio de rua ficará aberto no feriado da Proclamação da República (dia 15), das 9h às 16h. O Shopping Piracicaba funciona do meio-dia às 20h e os supermercados têm escala própria em todos os feriados.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

10 − 10 =