(Foto: Freepik)

O comércio varejista vem sofrendo com os impactos causados pela pandemia e por uma economia instável. Aliado a isso, cada vez mais encontra dificuldade em se estabelecer diante da concorrência, que oferece amplo mix de produtos e serviços bem como de múltiplos meios de o produto chegar até o consumidor final.

Desse modo, para adequar as estratégias, alcançar seus objetivos e assegurar sua competitividade, deve priorizar a forma de definir o preço certo para a data mais esperada do varejo em termos de geração de faturamento, o Natal.

O varejista precisa ter consciência de que o preço deve fazer parte do planejamento estratégico da empresa. Assim, ao definir uma política de preços, deve levar em consideração rapidez, precisão, flexibilidade e agilidade, de forma que os preços estabelecidos sejam competitivos, e a empresa assegure sua permanência no mercado.

O preço é uma das ferramentas mais importantes do escopo de marketing. Dizer que o consumidor não busca preço nos produtos, e sim qualidade, é uma verdadeira balela. De fato, ele quer qualidade, entretanto, na maioria das vezes, é o preço que o leva à ação de compra.

Para obter uma correta precificação, a empresa necessita estabelecer um preço que cubra seus custos e ainda gere retorno pelo investimento, esforço e risco empregado. Um bom controle dos custos permite ao gestor a base para determinar uma política de preços compatíveis tanto em relação às condições da empresa quanto às do mercado.

No processo de precificação, os erros mais comuns cometidos por gestores são estes: não considerar as despesas administrativas, financeiras, comissões e impostos; não conhecer o real custo de produção, além dos gastos com materiais e fornecedores; não definir quanto deseja lucrar; não planejar, controlar e organizar as contas, custos e despesas.

Aos que desejam acertar no preço de seus produtos, é imprescindível que acompanhem as ações da concorrência, tenham conhecimento dos custos fixos e não deixem de considerar o valor percebido pelos clientes. É importante ressaltar que, na precificação feita com base na concorrência, o gestor deve conhecer profundamente os custos de seus produtos, para que eles não se tornem um problema no momento de cobri-los.

Os métodos mais utilizados pelos varejistas para fixação do preço de venda são margem de contribuição (MC) markup. Para fixação pautada na MC, os custos fixos não são incorporados diretamente aos preços. Quanto ao markup, os varejistas que optarem pelo uso desse método devem considerar um índice que possibilite à empresa multiplicar o custo de aquisição de seus produtos a fim de alcançar o preço ideal de vendas.

O importante é compreender que o cálculo ocorre a partir da identificação de despesas, de custos e de lucros, além do posicionamento de mercado desejado. Uma boa estratégia de preços contribui para valorizar o produto ou o serviço e ampliar lucros, do contrário pode banalizar o bem e inibir o lucro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × cinco =