Floral atua na emoção e vibração do pet, diz Mariana | Foto:

Ansiedade, estresse e até depressão também podem acontecer em pets. Métodos naturais podem ser mais eficazes do que tratamentos farmacológicos, um exemplo são os florais.

Florais tratam muito da parte vibracional e emocional do pet e do tutor, estão relacionados, como conta a terapeuta holística para animais Mariana Hofling. “Lida com o lado positivo do animal. Não modificam o comportamento, mas faz com que vivam em harmonia consigo mesmo. Segundo ela, além de parte emocional, melhora o físico do pet, e existem muitos tipos de florais que servem para muitas questões, desde a separação, enjoo em viagens à lambeção de patas.

O desequilíbrio na energia do pet nem sempre é perceptível. “Muitas vezes não é o comportamento do pet que muda e sim suas atitudes e ações perante aquela situação, como medo de fogos de artifício, sensibilidade a barulho, cropofagia (ingestão de fezes), ansiedade de separação, latidos em excesso. Qualquer atitude ou comportamento que faça o animal sofrer, deve ser notado pelo tutor e assim iniciar o tratamento adequado”, aponta a terapeuta.

O floral pode ser uma opção quando o tutor perceber tais mudanças no comportamento do pet, ou mesmo para evitar que algo aconteça. Mariana dá exemplos. “Quando o tutor vai viajar (para ele e o tutor ficarem mais tranquilos), quando o pet vai viajar com o tutor (evitar enjoos, vômitos, diarreias), para filhotes que roem tudo, animais que ficam assustados e com medo quando forem ao pet shop, para animais que foram adotados”.

Nestes casos, afirma Mariana, o mais indicado é o tutor tomar o floral junto com o seu pet, pois muitas vezes, e na maioria delas, o comportamento alterado ou modificado do pet, tem influência de atitudes e doenças de seus tutores. “Nem sempre são usadas as mesmas essências para os dois, mas a indicação é que o tratamento seja simultâneo”.

Como já disse Mariana, existem diversos tipos de florais e apontar um ideal depende de uma avaliação do pet, do tutor e da rotina deles. “Existem muitos motivos para um pet se sentir ou torna-se ansioso, é preciso antes de mais nada saber a causa, para que se possa ser tratado. Existem ansiedade por separação, por não passear, por chegar um bebê ou novo pet em casa, ansiedade durante o passeio. Por isso devemos antes de tudo, consultar uma terapeuta holística, ou uma especializada em foral”, ela explica.

Sobre perspectiva de tempo para se ter uma resposta, a terapeuta pondera que, geralmente, a mudança acontece no primeiro frasco, apesar do animal reagir mais rapidamente ao tratamento com os florais do que humanos. “Eles não questionam a eficiência, a crença, ou ‘barreiras’ emocionais da sua cura. Desde que sejam indicadas as essências corretas”.

Como aplicar o floral

A maneira mais eficiente de ministrar o floral, conta Mariana, é por meio de gotas pingadas na língua. Mas nem sempre é possível. Tem muitas animais que, sem querer, mordem o conta-gotas e isso pode feri-los. “Pois ela é de vidro, caso o animal só encoste a língua, esta deve ser lavada – com água apenas – antes de retornar ao frasco. Essa forma de ministra não deve tornar-se traumático para o pet, pois assim ele não deixará que o tutor pingue as gotas na língua”.

Outras possibilidades de ministrar os florais é pingar diretamente na água que o animal bebe, no leite ou em qualquer outro líquido que o animal goste, assim como em sua comida. Mas para ser eficiente esse método, os líquidos ou comida que for colocado o floral, deve ser ingerido somente pelo animal que está em tratamento, não sendo aconselhável caso o tutor não tenha o controle se foi ingerido todo o líquido ou alimento pelo pet.

Mariana Hofling é também pet sitter e dog walker, e atende em domicílio e no consultório da médica veterinária Júlia Flórios, na rua Frei Maria de Santiago, 284, bairro Nova América. Informações em 99607-0602.

Erick Tedesco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezessete − 7 =