Frio pode afetar ou até danificar a barreira protetora da pele

Foto: Pexels

Além da mudança climática, hábitos que surgem nessa época também aumentam a sensibilidade da pele

A pele é o maior orgão do corpo humano, e, uma de suas principais funções é impedir que agentes perigosos entrem no corpo. Mas você já notou que, durante o período de outono e inverno, ela tende a ficar mais sensível, com toque áspero e maior ressecamento? Isso acontece porque a temporada é marcada pela queda das temperaturas e a baixa umidade do ar, afetando diretamente a hidratação da pele e deixando-a mais suscetível a danos e irritações.

Há ainda a mudança de hábitos nesta época. Atire a primeira pedra quem não dispensa aquela água um pouco mais quente na hora do banho, certo? Para cuidar bem da pele e ver efeitos no tratamento é preciso saber bem o que é verdade e o que é mito no tratamento de pele seca.

O primeiro mito é o de que peles secas e desidratadas são a mesma coisa. “A desidratação é uma condição temporária, que pode ocorrer sob várias condições, já a pele seca é um tipo de pele que tem predisposição genética para esse aspecto seco, que necessita de cuidados especializados contínuos”, explica a dermatologista Juliana Tepedino.

Outro mito é que peles mistas ou oleosas não podem ficar ressecadas. Apesar da pele oleosa ser mais difícil ficar descascada na região do rosto, outras parte do corpo podem precisar do uso diário de hidratantes, principalmente pés, cotovelos e mãos, principalmente no inverno seco.

Por falar em hidratantes, a Juliana aponta algumas causas que influenciam no aparecimento de acne em peles secas e ressecadas é por “usar hidratantes que não são adequados para este tipo de pele ou fazer um uso exagerado pode ser uma das causas para o aparecimento de acne”.

A boa notícia é que esses problemas podem ser evitados com um tratamento que atenda às necessidades específicas da pele. “A limpeza é essencial para remover resíduos e manter a pele saudável, mas deve ser feita com um sabonete adequado para evitar lesões e irritação da pele”, explica a dermatologista. Em outras palavras: esfoliação é uma solução. Apenas tome cuidado para não exagerar e acabar gerando feridas. “É de extrema importância consultar um dermatologista para não só indicar o melhor produto para cada tipo de pele, mas também para orientar sobre o modo de uso e a frequência correta de utilização do esfoliante”, complementa a dermatologista.

Outra coisa que ajuda a cuidar da pele no frio é o uso de protetor solar, um bom protetor vai criar uma camada fina de produto por cima da pele resultando em uma proteção do sol, mas também protegem um pouco a pele dos ventos frios. Além dessa dica, após o banho é e na hora de dormir, são os melhores momentos para hidratar a pele. Após o banho quente, os poros vão estar mais abertos e ao passar creme hidratante, ideal para o seu tipo de pele, a pele absorverá melhor o produto. Já na hora de dormir como não há mudanças de ambientes por um período de horas, o produto pode agir sem nenhum tipo de ação que possa tirar como a poluição, o suor, maquiagem ou chuva.

BEBA ÁGUA
Uma das coisas mais esquecidas no inverno é se hidratar internamente, ou seja, beber água. Como está mais frio, corpo sua menos e a sede diminuí, contudo é importante sempre beber uma média de seis copos d’água por dia. Beber água, além de essencial para o funcionamento corretos de vários órgãos, deixa a pele também mais hidratada, por isso sempre tenha uma garrafa d’água ao lado.

Larissa Anunciato
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco + 15 =