Funcionamento da farmácia da UPA da Vila Rezende é mantido

Farmácia usa sistema que impede aglomeração (Foto: Amanda Vieira/JP)

Apesar de anunciar que, a partir de hoje, a UPA da Vila Rezende será exclusivamente uma central de atendimento dos pacientes com covid-19, a Farmácia Municipal anexa à unidade funcionará normalmente. A estratégia, no entanto, desagrada moradores do bairro e adjacências que precisam ir constantemente até o local retirar remédios prescritos. Eles temem o fluxo maior de pessoas positivadas pelo novo coronavírus no entorno.

Morador da Vila Rezende, Renato Sesso, que se faz parte do grupo de risco, está preocupado. “Ficarei com receito de ir até a farmácia buscar meus remédios agora, sabendo que a UPA será apenas para o tratamento de pessoas com covid-19”. O maior receito do aposentado é quanto às incertezas sobre a exposição ao contágio.

Sesso tem dias marcados pela Saúde para ir à farmácia retirar os medicamentos – segue agendamento prévio, assim como todos beneficiários, uma medida que o Poder Público adotou para se evitar aglomerações.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a farmácia é independente da UPA e, portanto, “não haverá alteração por enquanto”. Respondeu, em nota, que a população será comunicada em caso de mudança de estratégia. Usuários do SUS (Sistema Único do SUS) na região da Vila Rezende que buscam atendimento médico, que não se tenham sintomas de covid-19, devem se deslocar paras as UPAs da Vila Cristina e da Vila Sônia.

Apesar do medo de Sesso, o secretário garante que a mudança para a UPA Vila Rezende porque a unidade tem condições de assumir casos específicos de internações da covid-19. “Tem pessoal e poderá ter 17 leitos, sendo 15 de enfermaria e 2 de estabilização com respiradores”, destacou.

Sobre uma eventual superlotação da UPA Vila Cristina, a prefeitura afirma que a unidade deve receber 27 leitos, sendo 25 de enfermaria e dois de estabilização com respiradores. “Os 10 novos respiradores que o Estado encaminhará poderão ajudar na estrutura de atendimento da antiga unidade”, aponta.

Erick Tedesco