Gatos do Cemitério da Saudade passam fim de semana sem ração

Voluntária de uma ONG afirma que gatos ficaram sem ração no último fim de semana | Foto: Claudinho Coradini

 Um dia após a Prefeitura de Piracicaba assumir a responsabilidade dos cuidados com os gatos do Cemitério da Saudade, os cerca de 450 animais que vivem no local ficaram sem ração por – ao menos – três dias. De acordo com uma voluntária da SPPA (Sociedade Piracicabana de Proteção aos Animais) os felinos ficaram sem receber o alimento desde o último sábado até anteontem.

Para conseguir ração para os gatos, Elciam Granado fez um apelo nas redes sociais por doações para alimentar as centenas de gatos que vivem no local há anos.

Ela contou que em reunião com o prefeito Barjas Negri (PSDB), no início do ano, o tucano garantiu que a prefeitura assumiria os gatos do cemitério.

A conversa com o prefeito, segundo a voluntária, foi motivada depois que a Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente) informou que não aumentaria a quantidade de ração e também não ajudaria os voluntários a pagar para uma pessoa que trata dos animais diariamente.

A pasta fornecia, por semana, sete sacos de ração de 20 quilos para alimentação dos animais e o pedido era de aumentar para dez unidades. “No começo do ano, o prefeito disse na reunião que resolveria a situação e que os gatos passariam a ser cuidados pela prefeitura”, contou Elcian.

Ela disse que o ideal seria um trabalho em conjunto com a SPPA, pois os voluntários conhecem todos os gatos e seus hábitos, o que tornaria o trabalho mais tranquilo.

Na proposta da prefeitura, dois funcionários de empresas terceirizadas que atuam no cemitério ficariam responsáveis por alimentar os gatos diariamente. Para a voluntária, o mais viável seria a manutenção da pessoa que há cinco anos faz esse trabalho. “A Élida conhece os gatos, e para alimentar a todos é preciso fazer às 7h, porque depois eles se dispersam”, afirmou acrescentando que a proposta de contratar a pessoa foi apresentada ao prefeito.

A Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente informou ontem que a questão da falta de ração para os gatos no fim de semana foi pontual. Segundo a pasta não há falta de ração. “O que aconteceu foi uma dificuldade com o fornecedor, fato que já foi resolvido”.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que vai viabilizar a castração dos animais. Elciam informou que a maioria dos gatos do cemitério é castrada.

Os cuidados com os gatos do cemitério pela prefeitura já foram definidos em um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) proposto pelo Ministério Público em julho de 2014.

Beto Silva