Globalização e centralização: os desafios da cultura pós pandemia

Foto: Claudinho Coradini/JP

Plataforma digital de conteúdo cultural é o legado da pandemia para a cidade e a união de atividades e estruturas no Engenho Central é o desafio da administração

Todos os setores da cultura local, e também nacional, foram os primeiros a sentirem o impacto das restrições impostas pela pandemia. Teatro, cinemas, bares e palcos fechados, a criatividade ocupou as redes sociais com shows ao vivo que, em pequena parte, foram capazes de auxiliar os artistas que, ainda, enfrentaram uma mudança de governo e projetos de gestão das políticas públicas de cultura.

Sem dados específicos que mensurem as perdas do setor, o enfrentamento da crise sanitária é apontado por Adolpho Queiroz, publicitário e integrante do grupo fundador do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, criada em 1974, como o maior desafio do início da sua gestão frente a Semac, secretaria que une a Ação Cultural e Turismo numa única pasta. “Os desafios são constantes, mas talvez o maior é criar possibilidades para a cultura em tempos de pandemia, com a necessidade desse isolamento social, atividades em centros culturais, em teatros, em museus, nas ruas, dentre tantos que foram suspensas, o que impactou diretamente nos nossos projetos”, explica.

Adolpho aponta que deste janeiro vem recebendo artistas e fazedores de cultura para o mapeamento das necessidades e a construção de projetos, além dos existentes. Assim, foram definidos 16 projetos, entre eles o mais audacioso, que pretende mostrar à cidade a viabilidade de unir no Engenho Central atividades e estruturas hoje espalhadas pela cidade.

Denominado Engenho da Cultura, a proposta quer ocupar os armazéns com exposições, concertos e eventos com capacidade de atendimento de grandes públicos e com perfil turístico. Levando para lá a espaços como a Pinacoteca Miguel Dutra, a Biblioteca Ricardo Ferraz de Arruda Pinto, somando às estruturas já instaladas e os eventos já realizados no local, como o espetáculo da Paixão de Cristo.

Para buscar um equilíbrio durante a pandemia e suprir as necessidades do setor, o secretário relaciona o resgate do residual da lei Aldir Blanc, o Fundo de Apoio à Cultura e o programa estadual Juntos pela Cultura que, somando à com aportes de emendas parlamentares, trouxeram recursos para os artistas e para a cidade. “Entendemos ainda que há a necessidade de estabelecermos uma Cultura e Economia Criativa do setor”, reconhece.

Como legado de um dos períodos mais complexos para cultura local, o secretário revela que um projeto pioneiro que assimila a tecnologia em benefício da divulgação maciça da produção cultural da cidade. “Estamos trabalhando em uma plataforma digital, que consiste num espaço virtual, dentro de um processo de integração local e nacional”, conta.

Segundo ele, a plataforma vai absorver os recursos tecnológicos, garantindo as conexões locais com os fluxos culturais contemporâneos e centros culturais internacionais, estabelecendo parâmetros para a globalização da cultura. “Será uma plataforma de conteúdo para os artistas alimentarem com peças, shows, dança, pintura, literatura, programas, cursos on-line, onde possam ensinar e aprender”, antecipa.

OSP – A Orquestra Sinfônica de Piracicaba também foi atingida pela pandemia, teve seus espetáculos cancelados e expectativa do Secretário Municipal de Ação Cultural e turismo, Adolpho Queiroz é que, com a manutenção dos protocolos de segurança, os concertos possam voltar a ser realizados. “A expectativa é que com a flexibilização das restrições deste ano, para 2022 possamos ter maior apoio e maior estímulo a OSP e suas manifestações”, projeta.

Ainda para 2021, o secretário afirma que a Orquestra manterá suas apresentações em formas de lives e programações a distância. “Assim que for possível, os teatros da prefeitura estarão de braços abertos a retomarmos a programação”, afirma. Outra expectativa é quanto ao Corredor Metropolitano de Cultura. “Quem sabe nossa orquestra possa frequentar outros espaços de cultura de cidades próximas”, sinaliza.

Especial Piracicaba 254 anos

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

19 − onze =