Governo confirma general para Ministério da Saúde

Com Pazuello, militares já ocupam 45% dos ministérios (Foto: Agência Brasil)

O até então secretário-executivo do ministério da Saúde, general Eduardo Pazuello, assume o comando da pasta interinamente após Nelson Teich ter pedido exoneração do cargo de ministro, na última sexta-feira (15). O governo publicou nota no Twitter do Ministério da Saúde nos último ábado (16) confirmando Pazuello como ministro interino.

É a terceira troca no comando do Ministério da Saúde em menos de um mês. Antes de Nelson Teich, o então ministro Luiz Henrique Mandetta também divergiu com presidente Jair Bolsonaro sobre os caminhos para o combate à pandemia do novo coronavírus no país, como as medidas de isolamento social e o uso da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes. Formado pela Academia Militar das Agulhas Negras, em 1984, Pazuello foi coordenador da Operação Acolhida, que cuida de refugiados venezuelanos na fronteira com Roraima. Com essa nomeação, os militares já ocupam 45% dos ministérios. Levantamento foi feito pelo site Uol. Com a escolha de Pazuello, o governo Bolsonaro passa a ter dez, dos 22 ministérios, comandados por ministros militares. Um número maior do que três dos cinco governos da ditadura militar (1964-1985). Entre os oficiais das Forças Armadas próximos a Bolsonaro, há torcida para que o general seja nomeado ministro em definitivo. Outros nomes estão no páreo, como o da médica Nise Yamaguchi.