Guarda Civil fecha o cerco contra maus-tratos a animais

Guardas foram instruídos sobre as maneiras de atuação amparadas pela lei (Maycon Barbon)

A Guarda Civil participou de um ciclo de palestras sobre a atuação da nova lei que endurece o crime de maus-tratos e entrou em vigor no ano passado. De acordo com o comandante da corporação, Sidney Miguel da Silva Nunes, o projeto com os membros da corporação tem como objetivo apresentar embasamento legislativo e apoio aos guardas, dos caminhos feitos da denúncia até um novo lar para os animais em caso de abandono, maus-tratos ou situações de risco a vida do animal. Além disso, firmar uma parceria que viabilize a mão dupla em ocorrências feitas por protetoras independentes em Piracicaba.

A protetora da causa animal e vereadora Alessandra Bellucci (Republicanos) ajudou na organização junto a instituição a instrução aos membros da corporação a respeito da alteração da lei 9.605/98 Crimes Ambientais, dos temas abordados conterá também sobre maus-tratos e como pode ser a atuação da Guarda Civil em denúncias de casos que envolvam animais. Entre os palestrantes estiveram a delegada Juliana Ricci que abordou as situações de atuação em flagrante e legislação veterinária, o advogado especialista na causa animal Mauro Cerri Júnior e a presidente da ONG “Vira Lata Vira Vida” Miriam Moreira Miranda, que tratou sobre a fragilidades do sistema, ajuda da população e acolhimento e políticas de Bem-Estar.

“Como protetora de animais, sempre recebia bastante reclamação da população piracicabana, em decorrência de ligações pedindo apoio da polícia em situação de maus-tratos, mas eram mal atendidas ou nem atendidas em muitos casos. A gente vislumbrava que faltava informação as próprios atendentes sobre a questão de maus-tratos. Porque quem acorrenta, bate e maltrata um animal, também faz com as pessoas”, enfatizou.

Para o advogado, os GCs estão comprometidos com a causa animal. “Apresentamos também o protocolo de perícia de bem-estar, para facilitar o trabalho deles, mas é importante que todas as secretarias se articulem e se aperfeiçoem. Somente a GC atuando sozinha não resolverá”, afirmou.

Miriam enfatizou que a palestra foi mais um passo nessa longa caminhada. “O começo é o cumprimento de leis, diálogo maduro, inteligente e contemporâneo. A sociedade ganha com uma polícia mais preparada e os animais com um proteção mais forte”, disse.

A delegada destacou a importância da palestra. “Foi uma atualização e troca de informações entre profissionais que atuam na linha de frente, do combate à crueldade contra os animais. Abordamos as a situações, por exemplo, da prisão ou não do autor”, destacou.

O guarda Guerra e Batagin, do Pelotão Ambiental consideraram importantes a instrução das maneiras de atuação amparadas pelas nova lei.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha
[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezenove − 2 =