Gustavo Maldonado Vieira: Foco nas rodovias para coibir a criminalidade e salvar mais vidas

Gustavo Maldonado Vieira é filho de pais bancários aposentados e encontrou na família seus valores como lealdade e humildade que foram importantes para escolher sua carreira na Polícia Militar. Incentivado pelo padrinho, que era oficial da reserva, ele cresceu dentro dos quarteis e percebeu que não tinha dúvidas sobre sua profissão.

Atualmente, Maldonado é capitão da Polícia Militar Rodoviária e comandante na região de Rio Claro e Piracicaba. Para ele, a fiscalização nas rodovias visam o combate à criminalidade, mas também tem a missão de salvar vidas, pois muitos motoristas podem fazer do volante uma arma, principalmente se tiver aliado com bebidas ao volante, excesso de velocidade e falta de atenção. Confira um pouco mais sobre sobre o policial, que também arruma tempo para se dedicar aos esportes junto com as suas parceiras de vida, suas filhas Giovana e Helena.

Qual a importância da família para o Sr? Meus pais são Roberval e Cleide, ambos bancários aposentados. Atualmente meu pai é empresário lotérico e minha mãe coordena a casa. Foram fundamentais na formação do meu caráter e do homem que me tornei. Com o carinho da minha mãe aprendi a ter empatia pelos outros, calma para superar os momentos difíceis, ajudar o próximo e, resumindo, a ser uma pessoa de bem com a vida. Com a sabedoria do meu pai aprendi a traçar os caminhos para alcançar meus objetivos, a ter determinação, tenacidade, hombridade, lealdade e, acima de tudo, humildade. São meus companheiros diários e os idolatro muito. Sou pai da Giovana e da Helena, hoje com 9 e 7 anos respectivamente. Cada uma possui suas qualidades individuais ímpares, mas ambas adoram piscina, praia e doces. No esporte sempre foram parceiras e praticaram sempre tudo juntas, e várias modalidades, que começavam e paravam, como tênis, hipismo, natação, ginástica artística, judô,etc e, atualmente fazer vôlei. Sou separado e moramos em municípios diferentes, porém nos vemos com frequência, a cada 15 dias nos finais de semana e nas férias escolares, sendo momentos muito preciosos e harmoniosos.

Quais foram seus estudos?Cursei o Ensino Fundamental I em várias cidades do interior de São Paulo devido às várias mudanças que meu pai fazia por causa do trabalho na Gerência do antigo Banespa, o Fundamental II estudei no Colégio Metodista em Ribeirão Preto e o Ensino Médio estudei no antigo COC, atualmente Escola SEB. Ainda cursei dois anos de cursinho, e ingressei na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (Escola de Oficiais), em fevereiro de 2005. Possuo ainda formação acadêmica em Direito pela Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo.

Por que decidiu ingressar na polícia? Decidi ingressar na PM. pois frequentava o quartel da Polícia Militar de Dracena, onde possuo familiares. Meu padrinho, falecido coronel da reserva Artur Luiz Fabião, me levava para jogar futebol no quartel, sendo também o responsável por me esclarecer das nuances da carreira como Oficial da Polícia Militar. Em seguida o filho do meu padrinho ingressou na Academia do Barro Branco e me levou para conhecer a Unidade, em São Paulo, à partir daí me apaixonei pela profissão e decidi que era o que eu queria.

Qual sua identidade com Piracicaba? É uma das cidades mais importantes do interior do Estado de São Paulo em relação à crescimento econômico e índice de qualidade de vida, e foi a primeira cidade que trabalhei quando cheguei na Polícia Militar Rodoviária em janeiro de 2015, como 1º tenente, na função de comandante do Pelotão Rodoviário. A cidade me encantou logo no início, quando ainda não existia o Anel Viário, e tinha que atravessar uma parte da cidade, passando em frente ao Shopping de Piracicaba e em frente ao campus da Esalq/USP. Como morava em Ribeirão Preto, dormia nas dependências da Base Operacional de Piracicaba, às margens da Rodovia Luiz de Queiroz, e com frequência passeava pela cidade. O local que mais gostei foi a Rua do Porto, com restaurantes muito bons e uma beleza ímpar.

O que representa a Polícia Militar para o Sr? É uma instituição centenária e está a mais de 190 anos protegendo a sociedade. É o primeiro anteparo do cidadão de bem contra a criminalidade, bem como em muitas vezes somos os primeiros a serem lembrados em situações diversas, como crianças engasgadas, auxílio para parturientes em deslocamento emergencial (algumas vezes com o policial realizando o parto), casos de violência doméstica e vários outros. Já por parte da Polícia Rodoviária, temos também a missão de salvar vidas das pessoas que se utilizam das rodovias, tendo como objetivo que nenhuma pessoa se fira ou morra em sinistros de trânsito rodoviário. Enfim, a instituição é formada de pessoas, e na Polícia Militar do Estado de São Paulo elas são compromissadas com a vida, integridade física e dignidade das pessoas.

Quais foram as ocorrências mais complexas que atuou? Toda ocorrência é complexa, o que varia é o grau de complexidade. Desde o início da carreira tiveram algumas que me marcaram mais. Uma foi a nossa intervenção em uma briga entre casais no interior de uma residência e, quando chegaram as viaturas para verificar o ocorrido, saiu uma mulher correndo da residência com um homem correndo com uma faca na mão logo atrás, o qual conseguiu desferir um golpe de faca nas costas da mulher; de pronto um dos policiais que estava melhor posicionado efetuou dois disparos para conter a injusta agressão que a mulher sofria e, mesmo acertando os dois disparos de arma de fogo o indivíduo, em pé, mudou sua direção e foi para cima dos policiais, ainda com a faca na mão, sendo necessário efetuar outros dois disparos para que o meliante não ferisse algum policial, desta forma foi contido e veio a óbito devido aos ferimentos; após entrevistas e análise da situação descobrimos que o homem era usuário da droga “crack” e havia fumado seispedras” aquela noite, o que o fez esfaquear suas duas filhas e a esposa, sendo que uma das crianças veio à óbito, após nós a socorrermos, o que chocou a todos que acompanharam.

Quais foram os cuidados que adotou durante a pandemia? Durante a pandemia adotamos medidas duras de combate à propagação do vírus e, dentre outras medidas cito, priorização de fiscalização de trânsito sem abordagens, sanitização semanal de todas as instalações subordinadas à 2ª Companhia, utilização obrigatória de máscaras a todos os policiais militares rodoviários, disponibilização de álcool gel em todas as instalações e viaturas, suspensão dos prazos para vistoria de saneamento de irregularidades em veículos e alteração da escala do expediente administrativo, sendo 50% por dia, aumentando o horário da jornada de trabalho. Cabe ressaltar que o comandante do 3º Batalhão de Polícia Rodoviária, tenente-coronel Pedro Luis de Souza Lopes, adotou várias outras medidas de combate ao coronavírus, conseguindo premiar nosso Batalhão com a Certificação ISO/PAS 45005 de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional – diretrizes gerais para trabalho seguro durante a pandemia da covid-19, abrangendo também todas as Bases Operacionais da região de Piracicaba.

Como atua no combate aos índices criminais? Com o intuito de reduzir os indicadores criminais, de sinistralidade e número de vítimas nós da Polícia Rodoviária atuamos em várias frentes, como equipe especializada em combate ao crime denominada Tático Ostensivo Rodoviário, Operações voltadas à fiscalização das seis infrações que mais causam ou agravam os sinistros, sendo utilização do cinto de segurança, ultrapassagem em local proibido, utilização do celular na condução do veículo, motocicletas de modo geral, controle de velocidade e, principalmente as Operações Direção Segura com utilização dos etilômetros passivos e ativos. Em relação aos etilômetros passivos, pela forma de operação do equipamento, nos permite submeter uma maior quantidade de condutores ao pré teste, onde indicará se o condutor possui alguma quantidade de álcool expelida pelos pulmões e, caso a luz fique vermelha, o condutor é convidado a realizar o exame no etilômetro ativo, o qual determinará a quantidade exata de álcool por litro de ar alveolar. Além dessas infrações, também nos preocupamos muito com o estado geral dos veículos, como pneus em condições de segurança, para-choques de caminhões, dentre outros, portanto desencadeamos Operações Saneamento. Em paralelo ainda realizamos a fiscalização do cumprimento do CTB de forma ampla e, ainda, fiscalização de veículos transportando Produtos Perigosos, ações educativas de conscientização para um trânsito mais seguro, ações de orientação a pedestres em passarelas com o apoio das Concessionárias de Rodovias, dentre várias outras incumbências que me estenderia muito.

Quais as principais causas dos acidentes? A principal causa de sinistros em rodovias é a falha humana, ou seja, falta de atenção ou descumprimento das normas de trânsito. Seguida da falta de atenção dos condutores temos a má condição dos veículos, como pneus desgastados, defeito no sistema de iluminação, falha dos freios, etc e, ainda, estado de conservação das rodovias como falta de acostamento, más condições de sinalização, má conservação do asfalto das faixas de rolamento e falta de passarelas.

Piracicaba está na rota dos roubos de carga, por exemplo? Na região de Piracicaba não registramos índices preocupantes de roubos de carga e/ou roubo outros. Em relação ao tráfico de drogas, a região não chega a ser rota principal do tráfico de drogas, uma vez que existem vários outros caminhos e municípios mais próximos à cidade de São Paulo, por onde a droga é escoada, contudo com a nossa atuação desencadeando operações criminais, ocorreram algumas grandes apreensões de drogas, o que acarretou, no ano de 2020 na apreensão de 2,5 toneladas de drogas, somente na região de Piracicaba. Diuturnamente, além a das fiscalizações de trânsito, realizamos ações criminais voltadas ao combate ao tráfico de drogas e outros ilícitos.

Qual o conselho para os jovens que gostariam de ingressar na carreira? Para ingressar na Polícia Militar a pessoa tem que ser dotada de alguns valores fundamentais para fazer o bem à sociedade, sem querer tirar proveito próprio, quais sejam o patriotismo, o civismo, a hierarquia, a disciplina, o profissionalismo, a lealdade, a constância, a verdade real, a honra, a dignidade humana, a honestidade e a coragem. Então para os que buscam uma Instituição com valores bem estabelecidos, e pretendem defender a sociedade paulista a qualquer custo, mesmo arriscando a própria vida, desejo sucesso nos estudos e nos concursos que virão.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 5 =