Haddad critica cortes no orçamento para pesquisas durante visita à Piracicaba

O professor Fernando Haddad, ex-ministro da Educação, e ex-prefeito de São Paulo criticou os cortes de mais de R$ 600 milhões do Orçamento 2021, destinados à pesquisas e projetos científicos. A medida foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, no último dia 15. O assunto foi discutido durante à coletiva de imprensa, que ocorreu nesta quinta-feira e fez parte da agenda política coordenada pela deputada estadual Professora Bebel (PT) e por lideranças do partido na cidade, entre eles o ex-prefeito José Machado e a vereadora Rai de Almeida, presidente Municipal do PT Peneloti Mendes, deputado federal Alexandre Padilha, presidente estadual da CUT (Central Única dos Trabalhadores) Douglas Izzo, entre outras lideranças.

Criador do Prouni (Programa Universidade para Todos)  e do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que possibilita o acesso às universidades públicas federais sem a necessidade de vestibular, considera que a medida do governo federal. “Praticamente triplicamos o número de jovens nas faculdades no Brasil em menos de 20 anos. Aqui em Piracicaba há instituto federal que dá curso superior em tecnologia e que usa o Sisu como porta de acesso. O Prouni já distribuiu em São Paulo quase um milhão de bolsas de estudo. No Brasil já estamos chegando a três milhões de bolsas concedidas pelo Prouni. O que está acontecendo com o corte das verbas é um crime. Está cortando bolsas de iniciação científica, mestrado, doutorado, de produção de pesquisador em um momento que a humanidade mais precisa de ciência, o governo federal nega em todas as áreas. Esperamos que o relatório da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre o governo federal que fez um “papelão” nesta pandemia”, relatou Haddad

Deputada Bebel coordenou a agenda do pré-candidato ao Governo de São Paulo, Haddad foi recepcionado por lideranças da cidade (Claudinho Coradini/JP)

ELEIÇÕES
Haddad, que é pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo, também conversou com diversos setores organizados e a militância, no Sindicato dos Bancários de Piracicaba, visitou à Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba); Lar dos Velhinhos, Câmara de Vereadores de Piracicaba, encontro com educadores e finalizou a agenda com ato político com lideranças políticas dos partidos aliados, movimentos sociais e militância, no Teatro São José.

Para a concorrência à presidência, Haddad nega a confronto de extremos entre direita de Bolsonaro e esquerda de Lula, apontado como principal pré-candidato a presidência pelo PT. “Lula atua no centro-esquerda e assim como ocorreu em suas gestões, ele sempre foi a favor do povo. Conversou com o Congresso nos assuntos relevantes do País, sempre deu autonomia à Polícia Federal, respeitou o Judiciário e nunca destratou jornalista. Ele e nós, somos a favor da democracia”, enfatizou.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezessete − 12 =