HFC Saúde é o 1º do interior a usar implante específico

Nova tecnologia melhora a qualidade de vida de pacientes com Parkinson

O Parkinson faz parte da realidade de 200 mil pessoas no Brasil, uma doença que prejudica a qualidade de vida, com tremores, lentidão, dificuldade em andar, ansiedade e até depressão. O HFC Saúde busca constantemente inovações para minimizar os efeitos da doença de Parkinson na vida das pessoas. Apesar de não ter cura, tem tratamentos que melhoram o bem estar dessas pessoas.

O HFC Saúde já realiza diversos procedimentos no paciente com Parkinson, o mais recente foi o implante Neuroestimulador Percept, o primeiro realizado no interior de São Paulo. O diferencial tecnológico está em conseguir captar os sinais cerebrais proporcionando ao médico um ajuste personalizado. “Além de fazer os estímulos como os demais, esse neuroestimulador é capaz de ler ondas cerebrais, através das quais é possível melhorar a terapêutica, ou seja esse equipamento percebe a necessidade de cada paciente. Uma evolução tecnológica, um procedimento revolucionário”, explicou o neurocirurgião do HFC Saúde, Fábio Garcia.

O procedimento faz a diferença no tratamento para os pacientes com Doença de Parkinson. Essa tecnologia permite ao médico ter informações mais precisas e dá condição de fazer ajustes individuais para cada paciente. Isso significa uma melhora na terapêutica. “Todos os geradores são capazes de enviar o pulso elétrico para aquela área onde o eletrodo está implantado, mas não tinha como saber como era a repercussão desse impulso no cérebro do paciente. Esse gerador o Percept ele começa a dar um feedback, ou seja ele capta algumas ondas cerebrais de padrão específico, que são lidas através de um tablete e com isso é possível fazer os ajustes necessários no tratamento para cada paciente. É um gerador, que além de produzir o impulso elétrico, fornece de volta informações captadas dentro do cérebro do paciente, por isso se chama Percept, de percepção”, explica o neurocirurgião.

Além disso, outra vantagem está na economia de bateria, esses geradores tem uma vida útil de cinco anos. O que pode prolongar em até 25% o tempo de uso da bateria desses neuroestimuladores. “Para o HFC Saúde, essa conquista demonstra que a equipe está envolvida em busca recursos para o proporcionar melhor qualidade de vida aos pacientes. Nossa missão é continuar em busca de novas tecnologias, desenvolvimento, pensando sempre no bem estar de cada paciente”, disse o presidente do HFC Saúde, José Coral.

Da Redação

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 1 =