Hoje é dia de Brasil e Argentina

Defesa do Brasil ainda não levou gols na competição (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A primeira semifinal da Copa América 2019 é hoje, às 21h30, no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. As equipes em campo? Apenas Brasil e Argentina, o maior clássico de seleções da América do Sul e do Mundo. Em razão da dimensão e do tamanho do derby, esse confronto era esperado para ser a final, já que ambas as equipes eram favoritas para ficarem em primeiro em suas chaves, porém quis o destino que o encontro entre eles fosse na semifinal. Ao contrário das quartas de final, se a partida terminar empatada, será disputa uma prorrogação de 30 minutos para definir o vencedor. Se o empate persistir, o finalista será conhecido na disputa por pênaltis.

Mesmo com uma campanha mais sólida e regular do adversário, o zagueiro Thiago Silva frisou que em um confronto contra a Argentina, tudo isso é deixado de lado. “Por mais que eles não estejam passando por um bom momento, é a Argentina com o melhor jogador que está do outro lado. Claro que procuraremos fazer sempre o nosso jogo, que é manter a posse de bole, agredir, ser agressivo, sermos sólidos na hora em que formos atacados, já que qualquer descuido contra essa equipe, principalmente quando a bola está nos pés do Messi será fatal, então temos que estar atento, já que é um jogador diferenciado e nós conhecemos bem”, disse o defensor, que ressaltou que espera uma atuação melhor do que a contra o Paraguai. “Espero que a equipe esteja em uma grande noite, diferente da última, para conseguirmos o resultado no tempo normal, embora o respeito seja enorme com essa equipe. Porém o Brasil entrará para fazer o seu jogo, para agredir da maneira na qual achamos que é o certo e espero que possamos tomar as atitudes do jogo e ser premiados com uma boa atuação e a classificação”, completou.



Lautaro Martínez marcou nos últimos dois jogos da Argentina (Foto: Divulgação/ Facebook AFA – Selección Argentina)

No lado argentino, o técnico Lionel Scaloni dise que a equipe se preparou contra o Brasil, dizendo que a “Abiceleste” consegue jogar o clássico de diferentes maneiras. “Brasil é um rival muito importante, porém faremos o nosso jogo. Não precisamos continuar com a imagem do último jogo (contra a Venezuela), já que creio que esses jogadores são capacitados para jogar de diferentes maneiras. Esses garotos têm compromisso, humildade e trabalho”, disse Scaloni, que teve sua opinião compartilhada com os jogadores. “Chegamos bem para poder enfrentar o Brasil e estaremos muito concentrador. É difícil decidir um favorito em um Argentina e Brasil, ainda mais em uma Copa América”, disse o capitão Lionel Messi. “Continuaremos jogando da mesma maneira. Eles (Brasil) terão que fazer um pouco mais, por jogarem em casa”, completou Sergio Agüero.

Na história da Copa América, Brasil e Argentina se enfrentaram 32 vezes, sendo que os argentinos têm vantagem, já que venceram 15 vezes, e o Brasil nove, além de oito empates. Foram 38 gols marcados pela Canarinho e 52 da Albiceleste. O último jogo entre eles foi a final da Copa América 2007, disputada em Maracaibo, na Venezuela, e terminou com vitória e título do Brasil por 3 a 0, gols de Júlio Baptista, Ayala (contra) e Daniel Alves. A última vez em que a Argentina eliminou a Seleção foi nas quartas em 1993. Após empate em 1 a 1 no tempo normal (gols de Müller e Lé Rodríguez, os Hermanos venceram nos pênaltis por 6 a 5 e avançaram para conquistar seu último título.

Mauro Adamoli