Home office e aula online unem pais e filhos na pandemia

A relação do pai Vinícius e da filha Luiza está mais próxima (Foto: Arquivo Pessoal)

Com a pandemia de covid-19 desde o mês de março, a rotina das pessoas mudou drasticamente, sendo que o home office e as aulas à distância ganharam mais importância para os jovens e adultos continuarem as suas vidas. Outro ponto positivo que o home office proporciona é a aproximação entre pais e filhos, que normalmente se veem pouco em razão das escolas e das empresas.

O Engenheiro de Validação Rudney Vinicius Neves, de 31 anos, tem trabalhado home office desde abril e disse que manter a rotina é essencial para se manter focado no trabalho e para dar o suporte necessário para a filha Luiza (6), que está tendo aulas a distância com o fechamento das escolas.

“As coisas mudaram nesta pandemia. Por mais que esteja fazendo um home office parcial, acima de 60%, mudou um pouco, já que tenho que ficar focado. Tenho um pequeno escritório em casa, no qual a empresa nos fornece todo o suporte necessário, só que a dificuldade de manter o foco aumenta. O primeiro passo é manter a rotina como se estivesse no escritório, como começar a trabalhar no mesmo horário, que na minha opinião, aumenta a eficiência.

Algo que mudou radicalmente em sua rotina foram as reuniões, que agora são feitas com cada um em sua casa, só que Vinicius detalha que a compreensão de todos na empresa é igual a interrupções, como o toque do telefone e os filhos chamando para pedir algo. “Entro diariamente em aproximadamente quatro reuniões, portanto é normal você ouvir uma mulher chamando uma criança no fundo, ou a criança chamando para alguma coisa”, ressalta.

Vinicius e Luiza sempre tiveram uma relação boa, algo que foi aperfeiçoado nesta quarentena, já que, ambos em casa, há uma cooperação entre as partes. “A Luiza que sentiu mais essa mudança, já que ela está longe das escolas e dos amigos e sente bastante saudade. Mas adaptando a rotina consigo trabalhar e dar o suporte que ela precisa, seja com as lições e com a alimentação, além de monitorá-la para ela não perder o foco. Quando tenho que viajar, sinto muito saudade em estar com ela no dia a dia, já que é ela que mais me ajuda do que o contrário”, detalhou o engenheiro.

O motorista João Paulo Gomes da Silva (34) não teve a oportunidade trabalhar home office, mas garante que quando volta pra casa sente que a aproximação com os filhos : Luís Felipe (14), João Pedro (8), Giovana (7) aumentou. “Ficamos mais próximos para fazer lição, brincar e é gostoso isso. É um tempo que perdemos para darmos valor. Estamos nos aproximando mais. No começo foi difícil, mas estamos encaixando as coisas com o passar do tempo”, explicou.

Mauro Adamoli