Homem é esfaqueado e socorrido pela mãe do agressor

Vítima foi transferida em estado grave à Santa Casa (divulgação)

Um ajudante geral de 44 anos foi esfaqueado na cabeça e pescoço após se envolver em uma discussão com um estudante de 24 anos, na área central de Santa Maria da Serra, na noite de domingo (21). A vítima foi socorrida pela mãe do acusado até ao Pronto Socorro local. Enquanto o ajudante recebia os primeiros atendimentos, a própria mãe do suspeito teria confessado que seu filho seria o responsável e informou aos policiais, que o estudante estaria na praça central, onde ele acabou sendo localizado pela PM. O acusado foi levado ao plantão policial, onde foi autuado em flagrante sob acusação de tentativa de homicídio. Ele foi transferido à Santa Casa de Piracicaba, mas teve alta às 10h15 desta segunda-feira (22).

O CASO

Por volta das 21h30, os policiais foram acionados para comparecerem no Pronto-Socorro de Santa Maria da Serra, onde um homem deu entrada com vários ferimentos provocados por faca, principalmente na região do pescoço e cabeça.

Os policiais apuraram que o ajudante foi socorrido pela mãe do agressor. A mulher, que ainda estava na unidade de saúde, teria relatado aos policiais que seu filho foi o agressor e informou o local onde poderia ser encontrado pela PM.

Segundo o boletim de ocorrência, após a detenção do suspeito, o rapaz teria ofendido sua mãe, pois sabia que ela teria informado o seu paradeiro aos policiais.

O estudante teria relatado aos policiais, que deu três facadas no ajudante, após uma agressão, mas não informou o que teria motivado o desentendimento entre eles. A faca usada no crime não foi localizada pela polícia.

Como a vítima passava por atendimento médico, ela não teve condições de informar mais detalhes sobre o ocorrido aos policiais.

O suspeito foi conduzido ao plantão policial, onde prestou depoimento ao delegado Mário Bortoleto Torina, que além de autuá-lo em flagrante sob acusação de tentativa de homicídio, já pediu na Justiça, que a prisão fosse convertida em preventiva, pois considerou que o suspeito coloca em risco a ordem pública e a conveniência da instrução criminal, além da gravidade do ocorrido. O estudante permaneceu preso até ser apresentado à audiência de custódia.

Cristiani Azanha

[email protected]