Hospitais que atendem SUS foram fundamentais para o cerco à Covid

Santa Casa e Hospital dos Fornecedores adequaram atendimento para priorizar combate à doença

O Sistema Único de Saúde, responsável por atender todo o qualquer cidadão que chegue até as unidades de saúde, inclusive estrangeiros, apesar de toda crítica é um dos mais elogiados em nível mundial. Posição que a pandemia do Coronavírus veio reafirmar com a necessidade de uma adequação rápida para o enfrentamento da doença. Se os resultados não foram mais eficazes, a razão não se limitou a questões técnicas ou ao esforço dos profissionais que, na linha de frente, chegam a triplicar plantões a fim de cobrir a lacuna de trabalhadores afastados e vidas perdidas para o vírus, desde o ano passado.

Em Piracicaba, além da rede municipal, dois dos Hospitais conveniados ao SUS, a Santa Casa de Misericórdia e o Hospital dos Fornecedores de Cana, foram essenciais para o enfrentamento da pandemia e o cerco ao vírus que, até o momento, levou vidas de piracicabanos.

Paulo Oliveira, Diretor Técnico do HFC Saúde, conta que com a pandemia houve uma diminuição dos atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas mas que, em contrapartida, o número de internações clínicas. O hospital expandiu o número de leitos tanto de UTI quanto de enfermaria para suprir a demanda de pacientes com Covid-19. Desde janeiro de 2020 a instituição se preparou para a chegada dos pacientes com Covid-19.

Foi instituído um comitê de crise com reuniões periódicas entre os setores administrativos e assistenciais. Definiram-se priorização e monitoramento de insumos essenciais ao atendimento, negociação com fornecedores, protocolos assistenciais, mudança de fluxos de pacientes e redução das cirurgias eletivas. “Foram realizados vários treinamentos institucionais englobando todo o complexo hospitalar visando a proteção e segurança dos pacientes e colaboradores num momento de tanta incerteza e risco que vivíamos no começo da pandemia”, explica.

Com a expansão da vacinação, a expectativa é pela redução dos casos graves de Covid-19 o que possibilita, segundo o diretor, a retomada dos procedimentos cirúrgicos eletivos, o aumento do número de consultas ambulatoriais e da realização de exames de imagens e laboratoriais.

Na Santa Casa de Misericórdia, a pandemia também levou à suspensão das cirurgias não emergenciais em praticamente todas as especialidades. Conhecidas como cirurgias eletivas, podem ser reagendadas e a medida possibilitou atuar para o cerco ao Coronavírus, segundo o provedor da Santa Casa, João Orlando Pavão. Ele explica que adiamento das cirurgias e procedimentos não urgentes reduziu a circulação de pessoas no hospital, deixando um número maior de leitos livres para atender os casos de pacientes infectados pela doença. “As visitas de amigos e familiares aos pacientes internados também foram suspensas, assim como a permanência de acompanhantes junto aos pacientes, à exceção de casos extremos mediante orientação médica”, explica.

Números levantados no início da pandemia pelo SCIH (Serviço de Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa de Piracicaba indicaram à época que a instituição estava entre os hospitais que apresentavam os menores índices de mortalidade por Coronavírus na cidade e região. “Enquanto o Brasil registrava 4,2% de mortalidade e o município 4,24%, este índice na Santa Casa era de 1,6%”, detalha.

O resultado foi fruto das ações preventivas implantadas com antecedência pelo Comitê de Crise da Instituição, composto por equipe multidisciplinar. “As ações foram implementadas antes mesmo das determinações da OMS e dos decretos estaduais e municipais, pois o comitê interno instituiu precocemente o uso obrigatório de máscara a todos os funcionários no dia 23 de março, enquanto grandes hospitais do Brasil tomaram essa decisão no dia 31 de março”, relembra.

Outro fator que levou à baixa taxa de letalidade do coronavírusno Hospital foi a definição de fluxos adequados do ponto de vista do atendimento e a implantação de um bloco isolado, exclusivo e estruturado para o atendimento inicial de pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19, com o objetivo de reduzir a contaminação. “Além de 18 leitos de UTI no segundo andar do Hospital Santa Isabel para os casos mais graves da doença, elevador exclusivo para o transporte desses pacientes e uma enfermaria com oito leitos de observação, a Santa Casa é também o único hospital da cidade a oferecer leitos pediátricos infantis para o Covid-19 pelo SUS (Sistema Único de Saúde), relata.

Especial Piracicaba 254 anos

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

16 − 3 =