Hospital Ilumina anuncia retomada parcial para dia 18

Foto: Claudinho Coradini/JP

Retorno dos serviços será possível graças a campanha que arrecadou até ontem (14) R$ 80 mil

O Hospital Ilumina vai retomar o atendimento de maneira parcial a partir da próxima segunda-feira. A informação foi dada ontem (14) pela fundadora e diretora do conselho administrativo, Adriana Brasil, após reunião com a diretoria e com os funcionários. A interrupção no atendimento ocorreu na última segunda-feira devido à ausência dos funcionários e prestadores de serviços. Os 101 trabalhadores estavam sem receber salários há dois meses e muitos não tinham nem dinheiro para pagar o ônibus para se deslocar até o trabalho.

Segundo a médica, a retomada dos atendimentos será possível graças a campanha “Eu quero ter Um milhão de Amigos”, iniciada na última sexta-feira (8) e que arrecadou até ontem, R$ 80.809 mil de um total de 2.033 doações. Segundo a instituição a média por doador é de R$ 39,79.

A meta da direção é alcançar um volume de doação mensal de R$ 270 mil para cobrir a folha de pagamento do hospital e da carreta. “Pretendemos com essa doação continuada mensalmente, manter a sustentabilidade operacional e a segurança de pagamentos para funcionários e prestadores de serviços”, explicou Adriana acrescentando que a campanha continua.
A médica acrescentou que as outras fontes de recursos são utilizadas para expansão dos projetos de atendimento gratuito no hospital e na carreta e, também, para os programas educacionais, principalmente nas escolas e para a população carente.  “É um projeto inovador que contempla Educação e saúde”, frisou. Adriana disse estar otimista com a resposta à campanha que não se restringe a Piracicaba, uma vez que o projeto de Rastreamento Ativo Organizado, usado no hospital e que já salvou 600 vidas, segundo o hospital, está atraindo a atenção de outros municípios.

“Mantendo o projeto ativo, conseguiremos salvar vidas também em municípios de outros estados brasileiros, uma vez estabelecido a custo-efetividade do rastreio, enquanto política pública”, disse a presidente da Fundação Ilumina.
Uma das estratégias do Rastreamento Ativo Organizado é fazer o diagnóstico precoce nas faixas da população praticamente esquecidas pelos protocolos do Ministério da Saúde. Um dos exemplos é a indicação de mamografia, que pelos padrões atuais só contempla mulheres acima os 50 anos.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × um =