Hospital Ilumina luta para população ter o diagnóstico precoce do câncer

Desde o início deste ano, quando teve início a atual gestão municipal, Adriana tem enfrentado dificuldades para receber R$ 700 mil em emendas parlamentares. (Foto: Alessandro Maschio/JP)

Em maio de 2019 a médica Adriana Brasil viu o seu projeto de um hospital para diagnóstico de câncer, finalmente materializado. Desde então foram mais de 49 mil exames. A instituição se mantém com recursos privados e públicos, esses últimos – em sua maioria – são provenientes de emendas parlamentares estaduais e federais.

Desde o início deste ano, quando teve início a atual gestão municipal, Adriana tem enfrentado dificuldades para receber R$ 700 mil em emendas parlamentares. Os recursos estão retidos com a prefeitura que cobra a prestação de contas do contrato anual de R$ 649 mil para então liberar os valores ao hospital.

Diante da resistência do Executivo e defendendo a exatidão do contrato, a direção do hospital recorreu à Justiça para ter acesso ao valor. Nesta entrevista ao Persona, a médica e fundadora do Hospital Ilumina traça um panorama da instituição nestes dois anos de atuação e explica o impasse com a prefeitura.

Como surgiu a ideia de construir um hospital para diagnóstico de câncer?

Quando sentimos a dor dos pacientes avançados, quando vivemos junto com as famílias o desespero em querer ajudar sem sucesso, surge uma inquietude uma certeza que podemos mudar esta realidade. E esse foi o sentimento que me invadiu em 2007 , e que permanece até hoje, uma espécie de “chamado”, uma “obrigação em fazer” mais e para todos! Não sabia exatamente como, então fui conhecer Hospitais que tinham os melhores resultados em oncologia no mundo, e o que todos tinham em comum? O simples conceito da Prevenção! Escrevi o Projeto incorporando todos os melhores conceito que vi, e todos eram permeados pelo que percebia como ingrediente “secreto”: a Humanização. Por isso a galeria de arte dentro do Hospital(“Transform-arte”), por isso o piano de cauda(“Concertos que Salvam”), por isso trabalhar conceitos como resiliência e amorosidade na equipe. E foi quando aprendi o conceito mais importante. que muda a realidade do Câncer é o “Programa de Rastreio Ativo Organizado do Câncer”. A metodologia conta com a Carreta e com o hospital, mas é a inteligência de sensibilização, conscientização, engajamento, convocação, fidelização à causa, e apoderamento do cidadão, que constam nos pilares Comunicação e Educação que mudam o cenário do Câncer! Somos Inovação!

Quanto tempo a Associação Ilumina levou para concretizar o projeto?

É impressionante como as coisas ganham força quando tem que acontecer. E tivemos a grande oportunidade, em 2017, um edital do MPT sobre destinação da ação do Caso Shell Basf. Em 2018 recebemos a nossa Carreta e em 2019 tivemos a inauguração do Hospital. Hoje temos toda a metodologia de Rastreamento Ativo Organizado mapeada e implantada. Estamos em construção, com mais 14 projetos inovadores a serem incentivados.

Houve entraves para a construção do Hospital Ilumina? Qual a senhora aponta como maior dificuldade?

Fomos agraciados com o “por de sol” mais nostálgico da Cidade, doação do ex-prefeito Barjas Negri, um terreno privilegiado de 10 mil metros quadrados. A obra que levaria 2 anos foi entregue em 11 meses. Uma obra protegida e abençoada por Deus!

D e s d e e n t ã o q u a n t o s atendimentos (exames preve n t i vo s ) f o r a m f e i t o s e quantos casos foram diagnosticados?

Foram 49.072 pessoas submetidas a exames, 128 mil rastreadas, tendo sido confirmados 549 casos de câncer de outubro de 2018.

Uma vez diagnosticada a doença a partir dos exames, qual encaminhamento desse paciente?

Esse paciente é imediatamente encaminhado para o Cecan (Santa Casa) e Ceon (HFC).

A senhora defende a prevenção e diagnóstico precoce como forma mais eficaz no enfrentamento da doença tanto pela rapidez e sucesso no tratamento como pela economia gerada ao Poder Público. Poderia explicar em números? A estimativa do Inca (Instituto Nacional do Câncer), para Piracicaba, é de 721 novos casos de câncer por ano, para o triênio 2020- 2022. Considerando apenas os casos novos. O custo médio de um paciente em inicial é de R$ 10 mil, um custo anual R$ 7,210 milhões. O custo médio de um paciente avançado é de R$ 170 mil, um custo anual de R$ 122,5 milhões. O custo da Fundação Ilumina é de cerca de R$ 6 milhões/ano. A economia, é de R$ 109,3 milhões anuais. Existe ainda o custo social. Um paciente inicial fica 20 dias afastado, contra 18 meses do paciente avançado. Imaginem o impacto previdenciário. As grandes empresas já se atentaram para isso e estão contratando o projeto “Ilumina nas Empresas” para a população de colaboradores.

Qual o gasto mensal do Hospital Ilumina, com pessoal, consumo, manutenção e realização de exames?

O gasto mensal é de R$ 490 mil.

De onde vem os recursos para custear esses gastos? Como essa conta é fechada?

A instituição é uma entidade de terceiro setor, sem fins lucrativos, possui diferentes estratégias de mobilização de recursos para a sustentabilidade institucional- parceria público-privada. No tocante ao aporte público há o repasse via contratos e via emendas. Temos um contrato de prestação de serviços com a Prefeitura de Piracicaba cujo limite financeiro é R$ 649 mil ao ano. Isso corresponde a 10,8% do custo do Programa de Rastreio. Os exames são realizados, e informados. Só depois são pagos. Nos dedicamos muito no último ano à segunda modalidade- Repasses por emendas. As nossas emendas elas são destinadas para o Programa de Rastreio. Isso foi aprovado na Câmara e virou Lei em março de 2020 e realizado um aditivo ampliando os tipos de tumores a serem rastreador em novembro de 2020. É Lei.

Qual percentual de recursos da iniciativa privada e do Poder Público?

Em linhas gerais 50% público (10% contratos e 40% emendas) e 50 % privado (Empresas Amigas, Programa “Ilumina nas Empresas”,doações de cidadãos, Ilumina de prêmios e eventos)

Caminha para o 5º mês a retenção – pela Prefeitura de Piracicaba – de R$ 700 mil em emendas parlamentares. Como o hospital tem se mantido sem esses recursos?

Vendemos dois carros e a Van. Precisamos receber as emendas.

Um d o s a r g u m e n t o s apresentados pelo secretário de Saúde, Filemon Silvano, para o não repasse é de que a associação cumpriu 32% do contrato com a prefeitura. Essa informação é verdadeira?

Acredito que ele tenha se confundido. A prefeitura é que utilizou apenas 1/3 do contrato vigente, e repassou apenas R$ 240 mil reais (o contrato permite pagamento de até R$ 649 mil em exames) em 2020, pois não encaminhou os pacientes para o Ilumina. Encaminhou para outras clínicas privadas que detém o mesmo modelo de contrato que nós. Entretanto nós praticamos a tabela SUS. Não tivemos o valor pago para as outras clínicas quando perguntamos. Fazemos exames em pacientes sem sintomas e sem encaminhamentos. Estes não existem para a Prefeitura e portanto não são pagos. De janeiro a dezembro de 2020 foram realizados e comprovados 19247 exames, e foram pagos pela prefeitura (por que só são reconhecidos os “com encaminhamento”) apenas 5724 exames.

O contrato foi cumprido em sua totalidade?

Sim, tudo o que foi encaminhado foi realizado. É contrato pago mediante prestação de serviços. Só são reconhecidos os que a prefeitura encaminha. Deixamos de receber R$ 409 mil porque não reconheceram os “sem encaminhamento”. Reenviamos o ofício número 439/2020, informando a realização de 32.727 exames em 2019/20, e pedindo o ressarcimento SUS dos exames não repassados no valor de R$ 229,1 mil. Este repasse foi aprovado em reunião do Conselho Municipal de Saúde e reiterado em ofício do conselho ao Executivo, em fevereiro, sem resposta até o momento.

O secretário também considerou a possibilidade de rever o contrato com a associação. Como a senhora avalia essa possibilidade?

Achamos excelente. O Conselho Municipal de Saúde aprovou o Programa de Rastreio, no valor de R$ 6 milhões por ano, para o orçamento de 2021. Isso foi no final do ano passado. Este repasse foi ignorado até o momento.

Como presidente do conselho da Associação Ilumina, a senhora teme que esse impasse com as emendas possa atingir a reputação do hospital e, assim, impactar na destinação de recursos, seja pelo Poder Público e pela iniciativa privada?

Nós agradecemos o espaço aberto para mostrar as nossas atividades e principalmente a nossa transparência. Tudo documentado em ordem. Temo pela reputação da Cidade. Entraves como estes geram insatisfação nos parlamentares que aqui vieram, estudaram a entidade, dedicaram sua energia e tempo para uma boa destinação. É sem precedente esta situação.

O não repasse desses recursos reduziu a realização de exames? Qual percentual de exames não realizados por conta dessa situação?

Não. Vivemos em milagres, por meio de doações. Nossa luta é pela causa e pelo povo. Somos uma instituição de terceiro setor, cuja parte apenas da sustentabilidade é pública. Vamos em frente.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

doze − 2 =