Hospital Unimed alerta para tratamento de covid-19

“Ainda não há droga disponível com ação direta à doença’, diz médico | Foto: Divulgação

Desde o início da pandemia, instituição mantém protocolos assertivos, além de estrutura exclusiva para atendimentos e menor taxa de letalidade da cidade.

O Hospital Unimed Piracicaba, seguindo a tendência mundial, começou a utilizar medicamentos com as substâncias hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina no tratamento de pacientes com covid-19.

De acordo com o médico cooperado e coordenador da Universidade Corporativa da Instituição, Daniel Valim, todos esses medicamentos – além de outros tantos que polemizaram mundo afora, infelizmente, não reduziram a mortalidade relacionada ao vírus, sendo desaconselhados por órgãos de saúde nacional e internacional.

“Hoje, podemos afirmar com segurança e dados científicos que não há uma droga disponível com ação direta à doença. Nossa Instituição prima por referências atuais e fundamentos científicos. Porém, isso não significa que não houve avanços significativos no tratamento. Muito pelo contrário”, disse.

Como em outros casos na história da medicina, o tempo tem ensinado sobre a nova doença e como combatê-la. O tratamento efetivo mostrou ser baseado em técnicas e medicações que já conhecíamos, porém foram adaptados para o combate não ao vírus diretamente, mas aos seus efeitos no organismo.

Dentre as ações no Hospital Unimed Piracicaba, destaque para as técnicas de ventilação, baseadas na pronação – quando o paciente é colocado de bruços por longos períodos e capaz de aumentar em até 50% a capacidade de oxigenação dos pulmões.

“Isso pode ser feito tanto em pacientes na UTI quanto em enfermaria. Outros medicamentos que diminuem o risco de complicações, como trombose e uma resposta inflamatória exacerbada, também se mostraram eficazes, porém são úteis apenas em casos graves. O uso em quadros leves não apresenta benefícios, podendo levar, inclusive, a outras complicações e piora do quadro respiratório”, contou Valim.

Mas, o maior avanço no tratamento do coronavírus se deve, ainda, à integração entre busca constante pelo conhecimento, comprometimento das equipes assistencial e administrativo, além da estrutura tecnológica oferecida. E estes quesitos têm sido o diferencial da Unimed Piracicaba no combate à covid-19.

“Contratamos também o serviço do Hospital Albert Einstein que possibilita a troca de experiências e discussões de casos em conjunto, trazendo mais qualidade e individualização ao tratamento oferecido”, contou.

O novo serviço foi implantado pelo Centro de Excelência Médica da Unimed Piracicaba, formado por equipe médica de diversas especialidades, responsável pela atualização de protocolos e de equipe de análises estatísticas e de desfechos clínicos em tempo real, que norteia ações estratégicas da iniciativa.

Além disso, o centro médico conta com equipamentos de última geração e alta tecnologia, que auxiliam no diagnóstico e decisão do tratamento pela equipe médica.

“Estruturamos uma equipe assistencial altamente especializada, capacitada e comprometida, localizadas em setores chaves na condução desses casos, como pronto atendimento, enfermarias e unidades de terapia intensiva. O trabalho em equipe e atuação multidisciplinar tem sido fundamental para o resultado até aqui alcançado”.

Resultados esses que orgulham a instituição que completa, em dezembro, 50 anos, pois inclui desde o alto índice de testagens na região até a taxa de cura nos níveis dos grandes serviços de referência mundial, além do número de mortalidade – inferior à média nacional, apenas 1%.

“E a Unimed Piracicaba continua nessa luta, aperfeiçoando e buscando sempre as melhores evidências de tratamentos disponíveis no mundo”, enfatizou Valim.