Icy Gelato, o palácio do sorvete italiano

Gelato italiano é produzido artesanalmente

A encantadora Florença, na Itália, resguarda a origem do gelato. Narrativas contam que lá, no século 1, o imperador romano Nero mandou trazer gelo e neve das montanhas para misturar às frutas frescas. O gelato reaparece na história já no século 16, no casamento de Maria de Médice. Mas independente da verdadeira origem, o gelato, que simplesmente é a palavra italiana para sorvete, atravessa séculos e oceanos, hoje muito apreciado no Brasil e, claro, em Piracicaba. A Icy Gelato, na avenida Saldanha Marinho, 1700, é um verdadeiro palácio desta iguaria. Assinantes do Clube JP têm 20% de desconto na compra do gelato na casquinha de waffle com chocolate.

A loja de Piracicaba, inaugurada em abril de 2019, é a segunda da marca – a pioneira está em Americana. Como explica Júnior Morato, proprietário ao lado de Luan Tolenc, o gelato italiano se diferencia do sorvete tradicional porque é produzido artesanalmente e sem corantes artificiais, isto é, sem uso de pozinhos para dar cor.

“E é mais rico em proteína, cálcio e vitaminas”, ele enfatiza. Também é livre de gordura hidrogenada – usa-se creme de leite fresco. “Chegamos à cidade com esta linha para atender um público mais atento à alimentação”, conta Júnior.

Os gelatos da Icy são frescos, com produção diária, o que mantém os freezers sempre refrescantes e com produtos com sabores altivos. Atualmente, a loja trabalha com 24 sabores: 18 cremosos (a base de leite) e os demais são os sabores de fruta, a base de água.

O carro-chefe é o refrescante Macaromanga, uma única e divina mistura de maracujá, manga, hortelã e manjericão. Outros muito pedidos são abacaxi com hortelã, limão siciliano e acerola zero açúcar. Entre os cremosos, o campeão de vendas é o Brigadeiro Gourmet, que tem, no meio da massa, um brigadeiro da panela. Só de imaginar já dá vontade de experimentar, não? Ainda na linha a base de leite tem de cookie e caramelo.

Todos são servidos no copinho ou casquinha, com uma massa desenvolvida exclusivamente pela Icy, assada na hora. “É crocante, com um leve, mas valoroso, toque de canela e baunilha, que inclusive deixa um aroma em toda a loja”, revela Júnior. Ou seja, ir à Icy é por si só uma incrível experiência olfativa.

Logo, logo tem novidade na loja: a Icy deve atualizar o cardápio e alguns antigos sucessos voltarão, promete Júnior. Como o gelato de Banof, que é a base de baunilha e, no meio, tem um calda de banana e pedaços de bolacha.

A Icy, além de oferecer consumo no local, respeitando distanciamento entre mesas e cumprindo todas medidas de segurança, está no Ifood e tem ainda um sistema próprio de entrega, pelo link.

Erick Tedesco