Idosa de Piracicaba, vítima de extorsão, é localizada pela polícia em hotel

Idosa foi localizada em hotel em Rio Claro (Divulgação)

Uma idosa de 81 anos de Piracicaba foi vítima de extorsão. Após receber uma ligação de criminosos, ela acreditou que seu filho estava sequestrado. Sem desligar o telefone, ela foi coagida a transitar em seu veículo, foi obrigada a fazer check in em um hotel, na área central da cidade, onde ficou por pouco tempo. Depois seguiu até um endereço informado pelos golpistas. Ela teve que entregar R$ 2,4 mil para uma mulher que a aguardava em um endereço. Em seguida, foi para um hotel em Rio Claro na companhia da envolvida no esquema. A Deic conseguiu identificar a localização da suspeita e a prisão da acusada foi realizada posteriormente pelo 10º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) e parte do dinheiro da vítima foi recuperado.

De acordo com a Deic (Divisão Especializada de Investigações Criminais), após os policiais civis receberem informações sobre uma idosa que possivelmente estaria sequestrada e que criminosos estariam em contato com o filho dela pelo celular, exigiam dinheiro para libertá-la, as equipe da 2ª Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes e 3ª DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa iniciaram as diligências sobre o caso.

Segundo a polícia, durante a conversa com o criminoso, o filho da vítima ouviu áudio com a voz de sua mãe, levando a crer que possivelmente os criminosos estariam ela realmente.

Por meio de levantamentos da UIP (Unidade de Inteligência Policial) do Deinter-9, os policiais confirmaram que a vítima estaria em Rio Claro. A informação foi repassada à Polícia Militar. Minutos depois, uma equipe do 10º Baep localizou o veículo da idosa abandonado próximo ao Pronto-Socorro de Rio Claro. Enquanto as equipes intensificaram o patrulhamento naquela região, o filho da vítima teria recebido um vídeo, feito por terceiro, onde sua mãe dizia estar tudo bem e solicitava que fizesse o pagamento do resgate. Os policiais constataram que possivelmente a idosa estava em um quarto, aparentando ser de um hotel.

Rapidamente as equipes realizaram levantamento dos hotéis existentes naquela região e então dividiram-se para averiguar. Em contato com um policial civil daquela cidade por telefone, ele informou que haveria um hotel no bairro Estação, o qual comumente era utilizado por criminosos para ações criminosas. Os policiais seguiram ao endereço informada e a idosa foi localizada em um dos quartos.

As equipes constataram que uma mulher esteve com a idosa no hotel e teria realizado aquela filmagem, que foi enviada ao filho da vítima. Foram iniciadas buscas por câmeras de monitoramento nas imediações, e pelas imagens confirmaram que uma mulher foi flagrada em uma farmácia, onde esteve para comprar remédios para a vítima.

Os policiais realizaram levantamentos através do equipamento e a suspeita foi flagrada pelas câmeras. Foi presa por uma equipe do 10º Baep já em seu local de trabalho e ainda em posse de parte da quantia em dinheiro (R$ 1.655,00)  entregue pela vítima. Questionada sobre o caso, ela teria confessou sua participação na empreitada criminosa. Ela foi conduzida à sede da Deic, onde foi autuada em flagrante sob acusação de extorsão qualificada.

A investigação segue na tentativa de identificar outros envolvidos no esquema.

ORIENTAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL

Quando alguma pessoa receber uma ligação informando que algum familiar está sequestrado, a orientação da Polícia Civil é que imediatamente desligue o telefone e avise a polícia. Independente de ser um caso de golpe ou de sequestro realmente, cabe exclusivamente à polícia atuar. Se for um golpe, só a polícia evita prejuízo financeiro ou se for sequestro, somente a polícia poderá libertar a vítima em segurança, ou dependendo do caso mediar a negociação para o pagamento mínimo do resgate. Sempre visando primeiro libertar vítima e depois a realização do trabalho de investigação para prender os criminosos.

Outra dica é não ficar com o suposto sequestrador na linha. Jamais saia de casa e caso não consiga falar com o familiar, não acredite, pois o celular pode ter sido clonado ou ele também pode ter sido vítima de golpe. Mesmo em caso de sequestro real, o fato de fazer o pagamento não representa que o familiar será libertado, se acharem que a família tem muito dinheiro pode ficar perigoso, pois tentarão conseguir mais dinheiro. Independente de ser golpe ou sequestro, somente a polícia pode ajudar.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 + dezessete =