Idoso de 69 anos é preso pela Polícia Civil por estupro de vulnerável

Foto: Polícia Civil

Um idoso de 69 anos foi preso por estupro de vulnerável na manhã desta sexta-feira (14), no bairro Bom Jardim, em Rio das Pedras (SP). Ele teria abusado sexualmente de uma criança de seis anos de idade.

Depois que a Polícia Civil tomou ciência de que um indivíduo teria praticado crime de estupro de vulnerável contra uma criança de apenas seis anos de idade, no dia 12 de janeiro de 2021, rapidamente tratou de iniciar uma investigação a fim de identificar e localizar o autor do crime.

Com base na ordem de serviço dada, o investigador de polícia Sidnei Panuci fez buscas e encontrou o indiciado em sua casa, no bairro Bom Jardim, na cidade de Rio das Pedras. No local o homem de 69 anos foi cientificado da acusação e, espontaneamente, compareceu na delegacia, onde foi interrogado.

A vítima – uma criança de seis anos – também foi localizada e, acompanhada da mãe, também esteve na delegacia, onde afirmou reconhecer o idoso de 69 anos como sendo o homem que praticou ato libidinoso contra ela, no dia 12 de janeiro do ano passado. Na ocasião, ao saber dos fatos, a mãe levou a criança ao hospital, visto que ela se queixava de dores e ardências nas partes íntimas. Assim, o boletim de ocorrência foi registrado e um exame sexológico requisitado.

Durante o interrogatório, o idoso de 69 anos negou as acusações, porém confessou a prática de fatos semelhantes contra outra vitima. Isso também será apurado posteriormente. Ao ser indagado se policiais poderiam ter acesso ao seu celular, ele autorizou. O investigador acessou o aparelho do idoso, onde encontrou diversos acessos a sites de conteúdo pornográfico, além de diversas conversas dele com crianças, com fortes indícios de que, primeiro, ele agia ganhando a confiança da vítima e, posteriormente, a aliciava com propósitos sexuais. “Em uma dessas conversas, o indiciado se relaciona com uma criança desde o final de ano, mais precisamente começo de dezembro, e troca conversas de nítido teor carinhoso e estranho”, informou o investigador. Assim, o celular ficou apreendido para novas investigações e identificações de outras vitimas.

“Cabe consignar que o indiciado faz parte de uma instituição Chamada “Vicentinos”, que tem como objetivo colher alimentos e suprimentos da comunidade para serem doados a famílias carentes. Determinei o chamamento do responsável dessa instituição para ser ouvido, porque, segundo soube, era comum o indiciado chamar e receber crianças na instituição e que já fora advertido por essa conduta”, comentou também o investigador.

O investigador finaliza. “Por esses fatos e com base nos depoimentos da mãe e das testemunhas, mais os elementos encontrados no aparelho celular do indiciado, (…), determinei o formal indiciamento do indiciado nos dois inquéritos instaurados, representando ao Poder Judiciário pela decretação da prisão temporária do indiciado.”

No decorrer das investigações, ficou apurado, também, que o indiciado abusou de outras vítimas.

Rafael Fioravanti | [email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 3 =