Igreja de São Benedito ganhará marco histórico

Marco histórico perpetuará legado no entorno da Igreja de São Benedito | Foto: Divulgação

A entrada do prédio principal da Câmara de Vereadores de Piracicaba deve ganhar, até setembro, um marco histórico alusivo ao resgate do entorno da Igreja de São Benedito. Segundo o presidente Gilmar Rotta (CID), o gesto visa manter a memória de espaços que ainda em 1824 teriam sido destinados à construção de capela e cemitério voltados aos povos africanos que foram escravizados na cidade.

A defesa da iniciativa foi reforçada na manhã de quarta-feira (12), quando o presidente da Câmara se encontrou com José Mariano, que, aos 85 anos, segue à frente da defesa pelo legado sociocultural e histórico que envolve a Igreja de São Benedito. Ele destacou a luta do movimento negro pelo reconhecimento ao trabalho de mais de cinco mil escravizados a que Piracicaba recorreu na época do Império.

Mariano reiterou sua trajetória de luta, destacando ato que fez em 13 de maio de 2010, quando se acorrentou na praça José Bonifácio, em manifestação para chamar a atenção das autoridades e da população em geral sobre a importância do resgate histórico e possíveis indenizações sobre as quais caberia à Justiça se manifestar, tendo como base documentos e outras comprovações de áreas que foram doadas e depois desvirtuadas de povos africanizados, que na ocasião não tinham o direito de propriedade.

Rotta detalhou o projeto da construção do marco histórico, que também contará com respaldo do Departamento de Documentação e Transparência da Câmara, dirigido por Bruno Didoné de Oliveira, da diretora do Departamento de Comunicação, Valéria Rodrigues, e do jornalista da Câmara Martim Vieira, que acompanharam a reunião e verificaram o lugar onde será edificado o marco.