Igrejas e templos poderão retomar as atividades

Espaços religiosos deverão seguir as determinações impostas pelo programa de flexibilização para poder reabrir (Foto: Amanda Vieira/JP)

A Prefeitura de Piracicaba publicou decreto que estende, às igrejas e aos templos religiosos,  as regras de flexibilização anunciadas na primeira etapa do Plano Piracicaba de Retomada das Atividades Econômicas.

Para reabrir, esses estabelecimentos terão que seguir o protocolo sanitário e outras regras específicas. A reabertura poderá acontecer a partir de amanhã.

A decisão, segundo a prefeitura,  foi tomada durante reunião do grupo de trabalho do coronavírus, analisando o decreto estadual que flexibilizou a abertura do comércio e serviços de acordo com as condições de saúde de cada município.

Segundo a administração, Piracicaba tem taxa média de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com covid-19, nos últimos sete dias, de 34,5%.

De acordo com o decreto estadual, o município que tiver índice inferior a 60% é compatível com a fase 4 (verde) que inclui igrejas, templos e afins.

                As igrejas e templos que desejarem retornar as atividades, deverão seguir as condições de novos padrões de distanciamento e capacidade máxima com adoção de medidas rígidas de higienização.

Uma das condições importantes será a capacidade permitida de pessoas no prédio, que é de 20%.

Os assentos devem ser dispostos de forma alternada entre as fileiras de bancos, com a distância mínima de dois metros. Todas as pessoas devem usar máscara de proteção e higienizar as mãos com álcool em gel a 70%.

Nas missas e nos cultos onde houver a celebração de ceia, com partilha de pão e vinho, ou celebração de comunhão, os elementos somente poderão ser partilhados se estiverem embalados previamente.

Os espaços também devem ser higienizados e desinfectados com maior frequência e mantidos abertos e sempre ventilados, recomendando-se a não utilização de climatizadores e condicionadores de ar.

Esses locais serão fiscalizados por equipes do Procon e da Guarda Civil, a exemplo dos estabelecimentos comerciais.

Em caso de irregularidades, haverá orientação e, reincidentes, estarão sujeitos a multas e suspensão da atividade.

Beto Silva

[email protected]