Ilumina oferece curso gratuito para ajudar a parar de fumar

(Foto: Amanda Vieira/JP)

A Associação Ilumina, que administra o Hospital do mesmo nome em Piracicaba, em parceria com o Cratod (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas), vinculado à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, vai realizar no sábado (21), das 9h às 17h, um curso para treinar profissionais da área de saúde a ajudar as pessoas que desejam parar de fumar.
Trata-se do curso de Capacitação para Abordagem Intensiva do Tabagista. Será no formato online com transmissão pelo youtube e é destinado a profissionais de saúde, técnicos de nível superior que trabalham no SUS (Sistema Único de Saúde).

O curso é gratuito e as inscrições podem ser feitas no link https://forms.gle/QErknyxKoLincVhG7 . Os que permanecerem no curso até o final, receberão certificado emitido pelo Cratod e pelo Inca (Instituto Nacional do Câncer).

OBJETIVO
A médica coordenadora estadual do Programa Nacional de Controle de Tabagismo, Sandra Marques e uma das palestrantes, informou que o objetivo do curso é “qualificar os profissionais de saúde técnicos de nível superior do SUS, para abordagem de fumantes e capacitá-los para sensibilização e oferta de tratamento na cessação ao tabagismo de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Controle do Tabagismo e Redes de Atenção à Saúde”.

A presidente do Conselho de Administração da Associação Ilumina, Adriana Brasil, disse que o curso é uma extensão da Campanha Julho Verde de prevenção do câncer de cabeça e pescoço que a instituição desenvolveu no mês passado, em Piracicaba e região.

A especialista lembrou que o fumante tem cinco vezes mais chances de desenvolver câncer de cabeça e pescoço e, se associado ao consumo de álcool, sobe para dez vezes. “Portanto, a prevenção inclui hábitos saudáveis, como não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas, uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, boa higiene bucal, uso de preservativo (camisinha) na prática do sexo oral, manutenção do peso corporal, uso de protetor solar, não exposição prolongada ao sol e vacinação do HPV para os meninos de 11 a 14 anos e para meninas de nove a 14 anos”.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

doze + catorze =