INSS adia para 24 de agosto a reabertura das agências

Volta do atendimento presencial seria em 3 de agosto (Foto: Amanda Vieira/JP)

Os atendimentos presenciais nas agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) estão suspensos até, pelo menos, 24 de agosto por conta da pandemia da covid-19. Enquanto isso, os atendimentos são realizados de forma remota, pela internet até 21 de agosto.

A nova prorrogação foi publicada no Diário Oficial da União pelo INSS ontem (29). A previsão de reabertura das agências era da próxima segunda-feira (3).

A retomada das atividades das agências será gradual. Em primeiro momento, segundo o Instituto, o horário do funcionamento será reduzido para seis horas e serão atendidos apenas aqueles que agendarem de forma remota, via portal ou aplicativo “Meu INSS” e Central 135.

As agências também deverão tomar medidas de segurança para voltar ao atendimento presencial. “Cada unidade deverá avaliar o perfil do quadro de servidores e contratados, o volume de atendimentos realizados, a organização do espaço físico, as medidas de limpeza e os equipamentos de proteção individual e coletiva”, diz portaria publicada no DOU.

‘MEU INSS’
O “Meu INSS” pode ser acessado pelo computador no site gov.br/meuinss ou pelo aplicativo “Meu INSS”, que encontra-se disponível para download gratuito nas lojas de aplicativos dos smartphones.

Para acessar o portal, é precisa se cadastrar e obter senha, no próprio site ou aplicativo. Pelo “Meu INSS”, é possível enviar documentação, como atestado médico, digitalizada ou fotografada.

Para agendar uma perícia, é preciso selecionar a opção “Agendar Perícia” e, em seguida, escolher se precisa de uma perícia inicial ou da continuidade do benefício.

É possível ainda solicitar diversos serviços do INSS direto na plataforma, como aposentadoria por idade ou tempo de contribuição, salário maternidade, pensão por morte, auxílio-doença, entre outros.

PROVA DE VIDA
Devido à pandemia, desde a última segunda-feira (27), as instituições bancárias podem realizar a comprovação de vida de pessoas com idade igual ou superior de 60 anos por meio de procuração ou representante legal – apresentado termo de tutela, curatela ou guarda.

Andressa Mota