Instituto Cecílio Elias Netto lança livro em Campo Largo-PR

Obra foi lançada oficialmente no dia 10 de junho (Foto: Divulgação)

O Icen (Instituto Cecílio Elias Netto) lançou no último dia 10 de junho o livro “A Arte e Cultura Sesquicentenárias de Campo Largo”, de autoria Patricia Fuzeti Elias, e alusivo aos 150 anos da cidade paranaense. Aprovado pela Secretaria Especial da Cultura, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, o projeto foi viabilizado pelo apoio cultural da Caterpillar. No entanto, o lançamento foi apenas virtual. De acordo com o Icen, o lançamento em evento presencial foi suspenso em função da pandemia da covid-19.

O livro, então, foi apresentado à cidade em lançamento virtual promovido pela Prefeitura Municipal de Campo Largo. “O livro, na verdade, é uma memória. Uma pessoa sem memória não sabe de onde veio, onde está e para onde vai. Este livro estará presente, aqui, quando Campo Largo fizer 200, 300 anos… Esta obra tem tanto ou mais valor, que a recuperação de qualquer prédio histórico de nossa cidade” – destacou o prefeito campolarguense Marcelo Puppi.

Com edição bilíngue português / inglês, o livro reúne referências culturais e históricas do município de Campo Largo. O projeto também incluiu a exposição “Campos, Cantos, Contos e Encantos de Campo Largo” – realizada em fevereiro passado na Igreja Matriz, no contexto das comemorações do Dia da Padroeira e do mês de aniversário da cidade. A exposição apresentou painéis que retratam a cidade, produzidos por alunos do 5ª ano do Ensino Fundamental, da Rede Municipal de Ensino.

O presidente do Icen, Marcelo Fuzeti Elias, conta que o Instituto e a Caterpillar doaram uma cota de exemplares do livro ao município, a serem distribuídos gratuitamente a entidades e organizações locais, por meio das Secretarias de Cultura, Educação e Desenvolvimento Social do município.

O jornalista e escritor Cecílio Elias Netto, que dá nome ao Instituto, revela que o convite para a produção desse trabalho, fora de Piracicaba, revela a “comunhão de identidades, no propósito que acalentamos de divulgar, o máximo possível e com fidelidade, valores e riquezas das chamadas cidades interioranas do brasileiro”.